Tamanho do texto

Para o diretor de produção da empresa, Danilo Oliveira, primeira rodada do pré-sal é o “filé mignon” das novas concessões

Com US$ 200 milhões anuais disponíveis para investimentos, a Queiroz Galvão Exploração e Produção tem total interesse na realização da 11ª rodada de licitações para exploração de petróleo, anunciada nesta terça-feira pelo ministro de Minas e Energia, Edison Lobão. “Nós temos interesse em tudo”, afirmou o diretor de Produção da empresa, Danilo Oliveira, referindo-se às áreas da 11ª rodada e também à primeira rodada do pré-sal.

Veja também:  Importação de gasolina pode custar R$ 58 bilhões entre 2015 e 2020

Para Oliveira, empresas que operam no Brasil e no exterior certamente vão se interessar pela realização da 11ª Rodada. “Pelo tempo de ausência de leilões no Brasil, será grande a atração sobre as áreas que serão licitadas. As empresas estão na expectativa e o anuncio do leilão do pré-sal também é estimulante”, disse Oliveira, que classificou ainda a primeira rodada do pré-sal como o “filé mignon” das novas concessões.

Mais:  Petrobras tem recursos para novas licitações, afirma Graça

Nesta quarta-feira, a Queiroz Galvão Exploração e Produção fechou, com a empresa Camerom, a assinatura de uma carta de intenções que visa encomendas futuras de duas árvores de natal (equipamento que é instalado nas cabeças de poços de petróleo). Os equipamentos serão utilizados no campo de Atlanta, na Bacia de Santos, área do pré-sal. As encomendas giram em torno de US$ 25 milhões. O primeiro óleo do campo será produzido em 2014.

Hoje, a companhia participa na área de exploração nos blocos BMS-4 e BMS-8, na Bacia de Santos e tem também atividades na Bahia.

Leia ainda: 

HRT deve lançar plano de monetização de gás até o final de 2013