Tamanho do texto

Estimativa de número de demissões era de 10 mil, mas foi ampliada por causa da baixa nas vendas de, em média, 40%, após a alta do IPI

Agência Estado

A Associação Brasileira das Empresas Importadoras de Veículos Automotores (Abeiva) ampliou estimativa do número de demissões no setor em 2012, de 10 mil para 15 mil, por causa da baixa nas vendas de, em média, 40%, após a alta de 30 pontos no Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI), promovida pelo governo em abril. "Antes, nós prevíamos demitir 10 mil de um total de 35 mil empregos, mas esse número já foi atingido. Com isso, esperamos cortar mais 5 mil postos até o final deste ano e chegar a 20 mil empregados", disse Flavio Padovan, presidente da Abeiva.

Veja mais:  Alta do IPI reduz venda de carro importado

De acordo com ele, as demissões aconteceram com o fechamento de revendas de algumas marcas, "mas todas as marcas que não fecharam revendas, enxugaram os quadros, ajustando à nova realidade de mercado", disse Padovan. "Entendo e apoio que o governo queira preservar o emprego do brasileiro, com as políticas de apoio às montadoras nacionais, mas a única coisa que eu fico preocupado é a forma como é feita, porque é ruim para todo mundo, causa uma insegurança danada nos investimentos", completou.

Leia ainda: 

Montadoras preveem recorde de vendas em agosto