Tamanho do texto

Incerteza mundial ameaça a perspectiva para os investimentos em mineração no país, que é rico em recursos naturais, afirma economista do banco

Agência Estado

Os preços baixos do minério ferro poderão reduzir os lucros anuais de exportação da Austrália em 5%, enquanto a incerteza mundial ameaça a perspectiva para os investimentos em mineração no país, que é rico em recursos naturais, disse o economista do Barclays Kieran Davies.

LeiaReino Unido estuda processar o Barclays

O boom da mineração da Austrália mostra sinais de perda de dinâmica, com a Fortescue, quarta maior produtora de minério de ferro do mundo, anunciando nesta semana seus principais projetos de expansão devido a preocupações com a perspectiva econômica e queda dos preços das commodities, após movimentos similares da BHP Billiton e Rio Tinto nas última semanas. Os cortes deverão colocar pressão sobre uma economia incrivelmente dependente de vendas de recursos naturais, que representam a maior parte das exportações da Austrália.

"O preço do minério de ferro é o canário na mina de carvão para o mercado (australiano)", afirmou Davies em uma nota de pesquisa, à medida que o preço à vista do minério de ferro pairou perto de uma mínima em três anos. "Se a queda de preços do minério de ferro for sustentada, estima-se que poderá ter efeitos amplos sobre a economia." As exportações de minério de ferro são as maiores da Austrália, representando um quinto das exportações de bens e serviços no segundo trimestre.

MaisBarclays designa novo presidente após manipulação da taxa Libor

O preço da commodity já acumula queda de quase um terço nos últimos dois meses. O minério de ferro está sendo negociado a US$ 87 a tonelada seca, de acordo com dados do provedor de dados The Steel Index. Os volumes das exportações de minério de ferro continuam robustos. Segundo dados de julho, os volumes atingira o segundo maior nível já registrado, afirmou Davies. As informações são da Dow Jones.