Tamanho do texto

A meta estipulada para a nova área, chamada Mondelez, no ano que vem é de um crescimento de 5% a 7% na receita e um lucro operacional de US$ 1,50 a US$ 1,55 por ação

Agência Estado

A Kraft Foods divulgou sua perspectiva para a divisão de petiscos, que se chamará Mondelez depois que a companhia de alimentos separar as operações de varejo na América do Norte no próximo mês. A meta estipulada para a Mondelez no ano que vem é de um crescimento orgânico de 5% a 7% na receita e um lucro operacional de US$ 1,50 a US$ 1,55 por ação, informou nesta quinta-feira Irene Rosenfeld, executiva-chefe e presidente da Kraft Foods. "Agora estamos prontos para expandir uma potência mundial de petiscos", disse ela durante uma conferência.

O diretor de finanças da empresa, Dave Brearton, afirmou que "os valores são maiores que as metas anteriores de longo prazo estabelecidas para Kraft Foods antes da cisão." A divisão dos negócios está programada para 1º de outubro. A Mondelez, cujas marcas - incluindo os biscoitos Oreo e os chocolates Cadbury - desfrutam de boas perspectivas nos mercados emergentes, terá que enfrentar um difícil ambiente econômico na Europa, bem como temores de que o crescimento nos mercados em desenvolvimento pode de alguma forma desacelerar.

Já a unidade de varejo, que será chamada de Kraft Foods Group após a cisão, terá de operar em um setor de alimentos embalados em lento ritmo de expansão, com os consumidores ainda controlando gastos. Hoje, a Kraft informou que embora os custos relacionados à divisão devam ficar em linha com as previsões anteriores, as despesas com a reestruturação da Mondelez devem superar as expectativas iniciais, refletindo programas adicionais na Europa e nos Estados Unidos. As informações são da Dow Jones.