Tamanho do texto

Unidade alemã da montadora americana GM faz uso de uma cláusula nos contratos salariais para reduzir a jornada de trabalho de 35 para 31 horas semanais

Reuters

A Opel, unidade alemã da montadora americana GM, está perto de fechar um acordo com trabalhadores para reduzir a jornada de trabalho de duas fábricas na Alemanha que empregam 16.500 operários, informou um porta-voz da empresa nesta segunda-feira.

A GM perdeu US$ 747 milhões operações europeias no ano passado, após o enfraquecimento da economia ter afetado a venda de carros na região. A situação obrigou as montadoras a enfrentar custos fixos elevados e um excesso de produção que equivale a 10 fábricas, segundo a GM.

VejaPresidente da Opel diz que empresa precisa fazer negócios de forma "diferente"

Com uma demanda de consumidores em queda, a Opel faz uso de uma cláusula nos contratos salariais para reduzir a jornada de trabalho de 35 para 31 horas semanais. Se a direção e os trabalhadores concordarem em diminuir o tempo de serviço na fábrica principal em Ruesselsheim e na unidade de componentes de Kaiserslautern, a Opel poderá pedir subsídios referentes a um programa do governo alemão.

As negociações devem ser concluídas até a quarta-feira, e ainda não está claro quantos trabalhadores serão envolvidos na medida e como as horas de trabalho serão afetadas.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.