Tamanho do texto

Entre os planos do exterior, a Bematech visa ingressar no Leste Europeu, logo após a recente chegada à Rússia, no segmento de hardware

Agência Estado

A empresa de automação comercial Bematech manterá planos agressivos de crescimento no mercado internacional. Segundo o diretor presidente da companhia, Cleber Moraes, atualmente cerca de 10% do faturamento da empresa vêm do exterior. "Queremos continuar elevando nossa fatia (em hardware e softwares)", afirmou, em entrevista à Agência Estado, porém, sem dar metas. No segundo trimestre, a receita de hardwares no exterior cresceu 32,7%, desempenho acima do obtido no mercado interno, que de forma consolidada alcançou 20,6%.

Entre os planos do exterior, a Bematech visa ingressar no Leste Europeu, logo após a recente chegada à Rússia, no segmento de hardware. Moraes destacou ainda avanços com parceiros locais na comercialização de hardwares nos Estados Unidos, país onde conta com um escritório regional, que é responsável por todas as operações internacionais. Além dos EUA, a empresa tem escritórios no Chile, na Argentina, na China, em Taiwan e em Portugal.

VejaBematech fecha parceria com Network1 para ampliar distribuição

"Desde o ano passado, estamos ampliando o número de parceiros no exterior e os primeiros resultados estão aparecendo", disse. Na área de software, a aposta para o crescimento é no segmento hoteleiro. A empresa recentemente fechou contratos para atuar em Portugal e prevê ingressar na Espanha.

Outros mercados são Moçambique e Angola (África) e Chile, Argentina e México (América Latina). Segundo Moraes, porém, essa receita ainda é contabilizada na linha de softwares do País. Em termos de Brasil, o executivo aposta também no avanço do segmento de softwares na área de hotéis, em razão da Copa do Mundo e Olimpíadas.

Aquisições

Em termos de aquisições, Moraes evita projetar novas compras, mas sim focar no avanço das sinergias das compras de empresas dos últimos anos. A intenção é aumentar a rentabilidade das operações atuais, ganhando fatia de mercado de forma orgânica.

Sobre o cenário do segundo semestre, a companhia está "otimista", em razão da atividade varejista ser sazonalmente mais aquecida. A empresa aposta ainda, para o crescimento no mercado interno, acompanhar o movimento de automatização comercial do varejo, que vem incrementando o uso de emissores de cupons fiscais junto com softwares de gestão.

Margem

Em relação ao aumento de custos dos insumos, pela variação cambial, que afetou a margem bruta de softwares no segundo trimestre, Moraes prevê menores impactos daqui para frente. Segundo ele, isto, em parte, pelo menor impacto previsto do dólar nos resultados dos próximos trimestres, assim como pelo repasse do aumento do custo aos produtos finais e a busca por componentes com menores preços no mercado externo.

Moraes acrescentou ainda que a redução da margem bruta de hardwares no segundo trimestre, além do dólar, refletiu uma ampliação do "mix" de produtos e soluções de hardwares, que operam com menores margens.