Tamanho do texto

A Embraer finalmente conseguiu a autorização do governo chinês para fabricar jatos executivos no país, o que vai viabilizar sua fábrica em Harbin, no norte da China

Agência Estado

A Embraer finalmente conseguiu a autorização do governo chinês para fabricar jatos executivos no país, o que vai viabilizar sua fábrica em Harbin, no norte da China. A companhia brasileira fechou um acordo com a Aviation Corporation of China (Avic) para a produção dos jatos executivos Legacy 600/650.

Jato Legacy 650 entregue a Jackie Chan: embaixador da Embraer promoveu marca no país
Divulgação
Jato Legacy 650 entregue a Jackie Chan: embaixador da Embraer promoveu marca no país

O compromisso foi assinado nesta quinta-feira, na presença da presidente Dilma Rousseff e do primeiro-ministro da China, Wen Jiabao, que está no Brasil para a Conferência Rio+20. No ano passado, quando Dilma esteve na China, os dois lados firmaram um protocolo de intenções, mas faltavam as aprovações finais das autoridades de Pequim.

Leia também:  Embraer promove sua imagem na China com jato privado de Jackie Chan

Com o aval do governo chinês, a fábrica da Embraer em Harbin, que está parada há mais de um ano, deve voltar a funcionar em breve. Os jatos Legacy serão fabricados utilizando a estrutura, os recursos financeiros e a mão de obra da Harbin Embraer Aircraft Industry Co. (Heai), joint venture entre a empresa brasileira e a estatal chinesa Avic.

“O anúncio derepresenta mais um marco no compromisso de longo prazo da Embraer com a China”, disse, por meio de nota, o diretor-presidente da Embraer, Frederico Curado. “A concretização da cooperação China-Brasil é produto dos esforços conjuntos de líderes governamentais e da indústria do setor”, afirmou, por sua vez, o presidente da Avic, Tan Ruisong.

O primeiro jato executivo fabricado em Harbin deve ficar pronto no final de 2013. O avião será entregue à ICBC Financial Leasing, que fechou ontem a aquisição de 10 modelos Legacy 650. A ICBC é uma subsidiária integral do Banco Industrial e Comercial da China. As informações são do jornal <b>O Estado de S.Paulo</b>.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.