Tamanho do texto

Recuo foi motivado por expectativas menos otimistas em relação aos meses seguintes; já o nível de Utilização da Capacidade Instalada alcançou 83,7%, pouco abaixo do mês anterior

O Índice de Confiança da Indústria (ICI) recuou 0,5% em junho em relação ao que foi registrado no final do mês anterior, ao passar de 103,4 pontos para 102,9 pontos, de acordo com prévia divulgada pela Fundação Getúlio Vargas nesta quarta-feira.

Segundo a FGV, a queda da confiança em junho foi motivada por expectativas menos otimistas em relação aos meses seguintes.

Na versão preliminar, o Índice de Expectativas (IE) caiu 1,6%, para 101,7 pontos, o menor nível desde fevereiro passado (101,3).

Mais: Freio na indústria impediu PIB mais robusto em 2011

Já o Índice da Situação Atual (ISA) avançou 0,5%, ao passar para 104,0 pontos, o mesmo índice registrado dois meses atrás.

O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI) alcançou 83,7% na prévia de junho, 0,2 ponto percentual abaixo do mês anterior e 0,1 ponto inferior à média dos últimos cinco anos, informou a FGV

A atividade da indústria ainda preocupa o governo e os agentes econômicos, uma vez que não consegue dar sinais consistentes de recuperação.

Veja também: Emprego na indústria cai 0,3% em abril ante março, aponta IBGE

Em abril, a produção industrial registrou a segunda queda seguida, ao recuar 0,2 por cento frente a março. Isso ajudou o Produto Interno Bruto (PIB) a crescer apenas 0,2 por cento no primeiro trimestre do ano comparado com os últimos três meses de 2011, mostrando que a economia brasileira ainda encontra dificuldades em deslanchar.

Diante desse cenário, e já tendo abandonado a previsão inicial de crescimento de 4,5 por cento do PIB para este ano, o governo tem buscado maneiras para fazer a atividade econômica no país voltar a crescer com mais vigor, adotando novas medidas de incentivo.

A última foi na semana passada, quando o governo anunciou uma linha de crédito de 20 bilhões de reais para que os estados possam realizar investimentos em infraestrutura.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.