Tamanho do texto

Índice que mede o preço cobrado por passagens aéreas da companhia cresceu 2% no mês passado em relação ao mesmo período de 2011

A oferta de total de assentos do sistema Gol recuou 3,8% em maio sobre um ano antes, resultado da racionalização de voos da companhia a partir de março.

Já a demanda no sistema Gol caiu 0,2% em maio sobre um ano antes, informou a companhia nesta quarta-feira.

No mercado doméstico, a demanda cresceu 3,2% em maio na comparação anual, avanço atribuído ao feriado de 1º de maio.

MaisEm 20 anos, todos voos serão com biocombustível, diz Gol

Mas a oferta da Gol no país caiu 1,2% sobre um ano antes, por conta dos cortes nos voos à medida que companhia aérea tem adotado esta com uma das medidas visando a redução de custos.

"A rentabilidade dos voos foi o principal fator para definir os cortes, onde os trechos mais longos e voos noturnos foram os mais impactados. Estas medidas tiveram como resultado a queda de 7% da produtividade diária das aeronaves", disse a Gol em comunicado.

Já o yield líquido, índice que mede o preço cobrado por passagens aéreas, da Gol cresceu 2% no mês passado na comparação com maio de 2011, para entre 18,6 centavos e 19,1 centavos de real.

TambémTroca de presidente não mudará modelo da Gol, diz Constantino

Em maio, a Gol apresentou uma taxa de ocupação no sistema total de 65,2%, aumento de 2,3 pontos percentuais na comparação com o mesmo mês do período anterior.

A oferta no sistema consolidado, que inclui a Webjet, teve queda de 1,9% no mês passado, enquanto da demanda subiu 1,7% no mês.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.