Tamanho do texto

Com a compra, a empresa ingressa em um novo segmento de negócio, o de repintura automotiva

A WEG anunciou há pouco a compra da Stardur Tintas Especiais, de Indaiatuba (SP). O valor da operação não foi revelado, mas esta é a segunda aquisição no segmento de tintas feito pelo grupo com sede em Jaraguá do Sul (SC) em pouco mais de um ano. Em maio de 2011 a empresa incorporou a argentina Pulverlux.

Segundo o diretor superintendente da WEG Tintas, Reinaldo Richter, com a Stardur a empresa ingressa em um novo segmento de negócio, o de repintura automotiva. A nova controlada também produz tintas de alto e baixo sólidos, hidrossolúveis, para plásticos de engenharia e para bobinas metálicas.

Conforme Richter, até agora a WEG fornecia tinta em pó para chassis e partes internas de veículos e com a aquisição poderá fornecer soluções completas para os clientes do setor automotivo. A empresa também passará a vender para o varejo e para oficinas mecânicas, além das montadoras, acrescentou o executivo.

O antigo controlador da Stardur, Jaime Vieiro, permanecerá como diretor-executivo da operação.

A WEG Tintas é líder no mercado brasileiro de tintas em pó e produz ainda tintas líquidas, anticorrosivas e marítimas para setores como petróleo e gás, químico e petroquímico, naval, de autopeças e eletrodomésticos. A empresa tem unidades industriais em Guaramirim (SC), Mauá (SP), Buenos Aires (Argentina) e agora em Indaiatuba, além de um centro de distribuição em Cabo de Santo Agostinho (PE).

A aquisição vai aumentar a participação da área de tintas e vernizes na receita líquida da WEG para além do patamar verificado em 2011, de 7% do total consolidado de R$ 5,19 bilhões. Richter não precisou a fatia que será alcançada neste ano, mas disse que o segmento vai crescer mais do que o consolidado do grupo, que já avançou 21,6% no primeiro trimestre, ante igual período de 2011, para R$ 1,37 bilhão.

A Stardur teve receita líquida de R$ 78 milhões no ano passado e deve crescer em torno de 25% em 2012, previu Richter. De acordo com ele, a nova controlada vem operando numa faixa de 70% da capacidade instalada, e a WEG começará agora a desenvolver projetos de investimento em expansão e no aumento da produtividade da empresa, que tem 250 funcionários.

Segundo Richter, o grupo segue disposto a analisar novas oportunidades de aquisições no segmento de tintas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.