Tamanho do texto

Novo modelo com algemas nos tornozelos é criticado por defensores de direitos civis

Enxurrada de críticas fez a Adidas cancelar o lançamento do produto, previsto para agosto
Reprodução
Enxurrada de críticas fez a Adidas cancelar o lançamento do produto, previsto para agosto

A ideia da marca esportiva Adidas de lançar um modelo de tênis com algemas nos tornozelos, como as que impediam a fuga dos escravos, provocou uma polêmica nos Estados Unidos. Em uma entrevista à "CNN", o reverendo e defensor dos direitos civis dos afro-americanos, Jesse Jackson, qualificou o episódio como degradante.

"A tentativa de comercializar e lançar como moda mais de 200 anos de degradação humana, quando os negros não eram considerados seres humanos completos por nossa Constituição, é ofensivo, terrível e insensível", destacou Jackson nesta terça-feira.

O reverendo não foi o único a criticar o modelo desde que o tênis foi anunciado no início desta semana. Diante disso, a empresa decidiu cancelar o lançamento do produto, que estava previsto para agosto. Jackson ainda lembrou várias contribuições da Adidas a atletas afro-americanos, como Wilma Rudolph e Jesse Owens ou o boxeador Muhammad Ali.

No entanto, o reverendo destacou que a empresa se torna irresponsável corporativamente diante do anúncio do tênis com algemas. "A Adidas não pode lucrar com a degradação humana comercializada", afirmou Jackson.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.