Tamanho do texto

Venda da terceira maior produtora de petróleo da Rússia, avaliada em US$ 30 bilhões, poderá abrir caminho para governo consolidar domínio sobre setor de energia do país

MOSCOU, 4 Jun (Reuters) - A BP vai avançar e vender uma participação em sua empresa russa, disse uma fonte próxima à companhia, apesar da ameaça feita por seus parceiros bilionários de bloquear o acordo que poderá abrir caminho para o Kremlin consolidar seu domínio sobre o vasto setor de energia do país.

A BP disse na sexta-feira ter recebido expressões de interesse em sua metade da TNK-BP, terceira maior produtora de petróleo da Rússia, que é avaliada por analistas em US$ 30 bilhões, e deve prosseguir com a venda.

Leia também: BP amplia atuação na área de exploração de petróleo no Brasil

Uma venda bem sucedida da TNK-BP ao Estado aumentaria a fatia controlada pelo governo da produção de petróleo russa para mais de 50% e marcaria uma grande vitória para a ação do Kremlin de fortalecer seu controle sobre os recursos naturais estratégicos, semanas depois de Vladimir Putin voltar à presidência.

Isso também afastaria os quatro bilionários que se opuseram a uma parceria anterior entre a BP e a empresa estatal, Rosneft.

"Podemos vendê-lo, se quisermos", disse a fonte da BP à Reuters em resposta a relatórios de que o consórcio AAR, que representa o quarteto de oligarcas russos, buscaria vetar qualquer negócio.

Fontes familiarizadas com o assunto disseram que a BP tem sido abordada pela holding de energia estatal Rosneftegaz, que controla uma participação de mais de 75% na Rosneft, maior companhia de petróleo da Rússia.

O ex-vice-primeiro-ministro Igor Sechin, um aliado de Putin que levou estratégia à Rosneft por quase uma década, foi recentemente nomeado diretor-executivo da empresa estatal de petróleo e fontes dizem que foi entregue um mandato para construir um campeão nacional produtor de petróleo, capaz de competir em escala global.

(Por Douglas Busvine - Reportagem de Melissa Akin)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.