Tamanho do texto

Em comunicado, construtora diz que o suposto envolvimento de alguns de seus executivos em atos ilícitos "tem levado a empresa a sofrer uma espécie de bullying"

A Delta Construção, uma das protagonistas do escândalo que deu origem a CPI do Cachoeira, anunciou nesta segunda-feira que entrou com pedido de recuperação judicial na Justiça do Rio de Janeiro, com base nos dispositivos da Lei nº 11.101/05. "Tomamos esta medida como parte de nossos esforços para garantir sucesso na execução e entrega das obras em andamento que são de interesse público e garantir a sustentabilidade da empresa em longo prazo", diz o comunicado.

Leia também:  Congresso cria CPI do Cachoeira em meio a desconfianças

Ainda de acordo com o texto, as dívidas com fornecedores, bancos, trabalhadores e com o governo (previdenciárias e tributárias) são inferiores ao ativos patrimoniais e a receber. "O envolvimento de alguns de seus executivos em supostos atos ilícitos, que estão sendo investigados judicialmente, tem levado a empresa a sofrer uma espécie de bullying empresarial. Em razão de notícias desta natureza que estão sendo veiculadas, várias administrações públicas estão deixando de honrar os pagamentos de obras já executadas", continua o comunicado.

Na semana passada, depois de um mês a frente da gestão da construtora, a J&H, holding controladora do frigorífico JBS Friboi, desistiu do negócio, alegando mudanças na conjuntura. 

Durante o período de recuperação judicial, a Delta será assessorada pela consultoria Alvarez & Marsal, que tem no histórico os processos de empresas como Varig, Casa & Video e o banco Lehman Brothers.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.