Tamanho do texto

Fabricante acelera produção de modelos comerciais enquanto caem os orçamentos de defesa

Modelo 737 é o mais vendido pela Boeing
Boeing Photo
Modelo 737 é o mais vendido pela Boeing
A Boeing teve lucro no primeiro trimestre acima das estimativas, ajudada por mais entregas de aviões comerciais, e aumentou a previsão de ganhos para este ano.

A companhia está acelerando o ritmo da produção de aviões comerciais para atender à maior demanda enquanto os orçamentos para defesa estão encolhendo.

O lucro líquido trimestral subiu para US$ 923 milhões, ou 1,22 dólar por ação, ante US$ 586 milhões, ou 0,78 dólar por ação, um ano antes.

Sem contar os ganhos de um litígio solucionado, o lucro foi de 1,11 por ação, acima da previsão de 0,94 dólar por ação de analistas que a Thomson Reuters I/B/E/S ouviu.

A Boeing se negou a identificar esse litígio. No começo do mês, a corte de apelação da Califórnia anulou uma vitória de 775 milhões de dólares da Pendrell sobre a fabricante em meio ao processo sobre lançamento e contratos de satélite.

A concorrente da Airbus, unidade da EADS, teve salto de 30% na receita, para US$ 19,4 bilhões, acima das expectativas de US$ 18,4 bilhões. A carteira de pedidos no fim do trimestre era de US$ 380 bilhões, acima dos US$ 356 bilhões do começo do ano.

A companhia elevou o teto da previsão de lucro em 2012 para 4,35 dólares por ação, ante 4,25 dólares, e manteve o piso de 4,15 dólares. A previsão de receita continuou entre US$ 78 bilhões e 80 bilhões.

A receita da unidade comercial aumentou 54%, para 10,9 bilhões de dólares por causa de maior volume de entregas e maior variedade dos aviões entregues.

A companhia entregou 137 aviões comerciais no primeiro trimestre, 32% a mais do que um ano antes. A maioria foi de 737.

No negócio de defesa, a receita aumentou 8%, para 8,2 bilhões de dólares. As vendas de aviões militares cresceram 27%, para US$ 4,3 bilhões.