Tamanho do texto

Na área de inovação, produtos da Apple são referência para os eletrodomésticos da Whirlpool, a dona das marcas Brastemp e Consul

As novidades trazidas pelos tablets e smartphones devem chegar também aos eletrodomésticos. Os produtos da Apple, como o iPad e o iPhone, estão entre as referências da equipe que desenvolve os lançamentos da Whirlpool, a empresa americana dona das marcas brasileiras Brastemp e Consul.

O uso de tecnologias até pouco tempo restritas aos eletroeletrônicos, como tela de LCD, controle “touch screen” e entrada USB, será cada vez mais comum em geladeiras e máquinas de lavar.

“Não podemos oferecer uma caixa, os consumidores querem eletrodomésticos mais tecnológicos”, diz Richard Gresens, diretor de design da Whirlpool na América do Norte.

Produtos com tecnologias “touch screen”, USB e LCD começaram a ser vendidos pela Whirlpool nos Estados Unidos no ano passado, mas essas ferramentas ainda não chegaram ao portfólio do Brasil.

Máquina de lavar com painel LCD
Divulgação
Máquina de lavar com painel LCD "touch screen"
Eletrodoméstico do futuro

O lançamento de um produto é um processo que leva, em média, entre um e três anos na Whirlpool. Mas, desde já, a equipe de inovação e design começou a desenhar suas apostas para os modelos mais modernos que estarão nas casas daqui a dez anos.

O fogão do futuro, por exemplo, já está em construção no centro de desenvolvimento de produtos da Whirlpool em Benton Harbor, nos Estados Unidos. Em visita ao local, o iG teve acesso ao protótipo. Fotos, é claro, não foram permitidas.

Em vez do clássico modelo a gás, de quatro bocas e forno, o novo fogão terá projetores sobre uma mesa de cerâmica. É uma evolução da peça de superfície plana da JennAir, marca de altíssimo padrão da Whirlpool.

Cooktop da Jenn-Air, marca da Whirlpool vendida no exterior
Divulgação
Cooktop da Jenn-Air, marca da Whirlpool vendida no exterior
Com tecnologia “touch screen”, o cozinheiro poderá desenhar na mesa uma área para aquecer o prato e, por meio de comandos de voz, definir o tempo e a temperatura. O dispositivo também é capaz de armazenar receitas e preferências do usuário.

O projeto soa um pouco menos ousado se lembrarmos que, na década de 60, a mesma empresa construiu para a NASA a primeira cozinha espacial. A Whirlpool desenvolveu sistemas para levar comida ao espaço, como o “sorvete de astronauta”, para as missões Gemini, Apolo e Skylab, que decolaram nos anos 60 e 70.

(A jornalista viajou a convite da Whirlpool)

Leia mais sobre inovação:

As lições de inovação de Steve Jobs – e como aprender com elas

Finep: inovar no Brasil é caro, arriscado e não remunera bem

Por que algumas empresas inovam com sucesso e outras não?

Patentes: dirigentes apostam em inovação "Made in China"

    Leia tudo sobre: inovação
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.