Tamanho do texto

Terceira maior fabricante mundial de aviões comerciais espera uma recuperação lenta em 2012

A Embraer, terceira maior fabricante mundial de aviões comerciais, vê uma recuperação mais lenta da aviação executiva do que alguns na indústria esperam, permitindo que a empresa complete seu portfólio de produtos no segmento a tempo da retomada do mercado.

"2012 pode ser um ponto de inflexão, o piso do mercado, e a partir de 2013 poderemos ver mais entregas de jatos executivos a cada ano", disse à Reuters o vice-presidente de Vendas e Marketing de jatos executivos da Embraer na América Latina, Breno Correa, durante a feira aérea chilena FIDAE.

As projeções da Embraer são mais conservadoras do que outras estimativas de recuperação forte do mercado em 2012 após uma queda de 50% nas entregas de jatos executivos nos últimos três anos devido à situação da economia global.

A fornecedora de componentes para aviões Honeywell Aerospace prevê que as entregas de jatos executivos este ano subirão de 3% a 5% globalmente, enquanto a fabricante de aeronaves Textron Inc estimou alta de 11% na receita da indústria em 2012.

A Embraer entregou 99 jatos executivos em 2011, abaixo de sua meta original em cerca de 20 unidades. Para este ano, a fabricante brasileira vê entregas de 90 a 105 unidades.

Uma recuperação mais lenta significa que a retomada da demanda virá quando a Embraer tiver uma linha completa de jatos executivos, após o anúncio de seis novos modelos nos seis últimos anos.

"Depois da crise de 2008, muitas companhias cancelaram o desenvolvimento de aviões que já tinham sido anunciados", disse Correa. "Mas a Embraer assumiu um risco um pouco maior, eu diria, e manteve seus planos de desenvolvimento. Agora os mercados estão se recuperando a tempo para nossos produtos."

A Embraer pretende iniciar as entregas do modelo Legacy 500 no final de 2013 ou começo de 2014, enquanto as entregas da variante um pouco menor, Legacy 450, devem chegar aos primeiros clientes no final de 2014, preenchendo a lacuna de jatos executivos ao preço entre 9 milhões e 27 milhões de dólares no portfólio de produtos da companhia.

O primeiro voo teste do Legacy 500 foi adiado após atrasos no desenvolvimento de um sistema de software. Quando estiver pronto, o avião será o primeiro com preço inferior a 50 milhões de dólares que poderá mudar de controle manual para totalmente eletrônico.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.