Tamanho do texto

Após dois anos na empresa, Paulo Penido Pinto Marques acaba de acertar com Benjamin Steinbruch sua saída

Após dois anos na empresa, Paulo Penido Pinto Marques acaba de acertar com Benjamin Steinbruch, presidente e principal acionista da siderúrgica, sua saída da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), conforme apurou o Valor com fontes do setor. No cargo de diretor-executivo, Marques era responsável desde meados de maio de 2009 pelas áreas de controladoria, financeira e de relações com investidores.

Depois de nove anos na concorrente Usiminas, em função semelhante, Marques foi para a CSN no lugar de Otávio de Garcia Lazcano, que deixou a siderúrgica de Steinbruch para ir trabalhar com Eike Batista na empresa de logística LLX.

Desde 2000 na Usiminas, o executivo ocupou a diretoria de finanças e relações com investidores e, a partir de 2008, a vice-presidência de finanças, RI e tecnologia da informação.

Na CSN, durante sua passagem, Marques teve participação ativa em importantes negócios. Um deles, a formatação final da Namisa (empresa de minério de ferro), com a entrada do consórcio asiático de siderúrgicas japonesas e coreana como sócias de 40%. Também atuou na aquisição de ações da mineradora de carvão Riversdale, comprando quase 20% da empresa, fatia recentemente vendida por US$ 800 milhões a Rio Tinto. Com Steinbruch, articulou ainda a aquisição de mais de 10% de ações ON da Usiminas (e 5,01% das PN), abrindo um caminho para ter uma estratégica na siderúrgica mineira.

Ex-conselheiro da várias empresas do setor e egresso da área financeira, ocupando cargos de vice-presidente do Morgan Guaranty Trust e posições de destaque no BankBoston e no Citibank, o executivo ainda não tem futuro acertado. A expectativa do mercado é de que deve acertar em breve o convite para ocupar a presidência de uma empresa no país fora do setor siderúrgico.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.