Tamanho do texto

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) informou em comunicado divulgado ontem à noite que apresentou nova proposta aos trabalhadores da mina Casa de Pedra, em Congonhas (MG)

selo

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) informou em comunicado divulgado ontem à noite que apresentou nova proposta aos trabalhadores da mina Casa de Pedra, em Congonhas (MG). Agora, a empresa aguarda uma apreciação dos trabalhadores. Em campanha salarial, os trabalhadores da mina estão em greve desde o último dia 28. A proposta foi apresentada em reunião mediada pela Delegacia Regional do Trabalho (DRT) com representantes da siderúrgica e do Sindicato Metabase Inconfidentes, na tarde de ontem, em Conselheiro Lafaiete (MG). "Ao final desse encontro, o sindicato aceitou levar a proposta da empresa para uma nova apreciação dos empregados", diz a nota da CSN. Sem informar o teor da proposta feita, a siderúrgica afirma que "considera a sua oferta para a renovação do acordo coletivo alinhada com a realidade de mercado, uma vez que garante a reposição total da inflação e engloba ganho real para os salários dos empregados". A companhia reitera que a unidade de Casa de Pedra prossegue operando normalmente. Segundo a CSN, toda a cadeia produtiva da empresa está em plena atividade, não havendo nenhum impacto sobre a sua produção diária de 60 mil toneladas. De acordo com o sindicato, a paralisação dos trabalhadores compromete cerca de 75% da produção de minério de ferro. Os trabalhadores reivindicavam inicialmente reajuste salarial de 15%, além de revisão da participação nos lucros para 5,4 salários e aumento do vale-alimentação dos atuais R$ 280 para R$ 450 mensais. Além disso, eles cobraram apuração, por parte da DRT, de denúncias de assédio moral e acidentes de trabalho sem comunicação à entidade, entre outras. A empresa nega as acusações.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.