Tamanho do texto

Dívida líquida contribuída pela Cosan para a Raízen será de R$ 4,94 bilhões, acrescidos de outros ajustes

selo

A Cosan Indústria e Comércio anunciou que concluiu ontem a reorganização societária conforme estabelecido no acordo assinado com a Shell Brazil Holdings para a formação da Raízen. "A formação da Raízen Energia Participações e da Raízen Combustíveis resulta na maior produtora mundial de açúcar, etanol e bioenergia a partir da cana-de-açúcar e numa das maiores distribuidoras de combustíveis do mercado brasileiro", diz a Cosan, em fato relevante divulgado ao mercado.

Conforme o comunicado, a dívida líquida contribuída pela Cosan para a Raízen será de R$ 4,94 bilhões, acrescidos de outros ajustes. Rubens Ometto Silveira Mello será o presidente do conselho de administração das duas empresas (Cosan e Raízen) pelo período de duração da joint venture. Ainda segundo o fato relevante, Ometto "terá um papel preponderante no seu desenvolvimento estratégico e crescimento, e receberá líquido um salário anual de aproximadamente R$ 13 milhões".

Ele também terá direito a um bônus variável pelos próximos cinco anos, "atrelado ao cumprimento de determinados indicadores de performance operacionais, que estão em linha com os indicadores estabelecidos para a diretoria da joint venture; a sua meta de bônus anual será de 25% de sua remuneração fixa". A Cosan acrescenta que a joint venture está sendo analisada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), "o que não suspende a integração das companhias".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.