Tamanho do texto

Mercados emergentes continuam sendo destaque nos resultados da maior marca de artigos esportivos do mundo

Adeus: Nike, parceira de Ronaldo, realizou vídeo promocional em homenagem ao
EFE
Adeus: Nike, parceira de Ronaldo, realizou vídeo promocional em homenagem ao "Fenômeno", que se despediu da seleção
As ações da Nike subiram 5% nas negociações após o fechamento da bolsa de Nova York. A maior fabricante de artigos esportivos do mundo anunciou, depois do encerramento do pregão, resultados acima das expectativas no quarto trimestre do seu ano fiscal, que se encerrou no dia 31 de maio.

E os países emergentes, entre ele o Brasil, continuaram sendo destaque, com as maiores taxas de crescimento nas vendas entre todos os mercados.

No trimestre anterior, o desempenho financeiro da Nike havia frustrado as expectativas dos investidores pela primeira vez em cinco anos. Na época, a empresa culpou a elevação dos custos, que pressionou as margens de lucro.

A Nike, porém, conseguiu reduzir despesas e melhorar seu desempenho. O lucro líquido da empresa, com sede em Beaverton, Oregon, cresceu 14% se comparado a igual trimestre de 2010, totalizando US$ 594 milhões. A receita líquida da companhia aumentou 14%, atingindo US$ 5,77 bilhões.

Em todo o ano fiscal, as vendas da empresa aumentaram 10% e totalizaram US$ 20,9 bilhões. E o seu lucro foi 12% maior, totalizando US$ 2,13 bilhões.

Os mercados emergentes, que incluem, continuam sendo destaque nos resultados da Nike.

A empresa informou em comunicado ao mercado que o número de pedidos para entrega entre junho e novembro de 2011 acumula um aumento de 25% nos países emergentes, a maior taxa entre todos os mercados. O total de pedidos da companhia cresceu, de forma geral, de 15% para o período.

As vendas nos mercados emergentes cresceram 38% no quarto trimestre e 30% em todo o ano fiscal encerrado em maio, totalizando em todo o ano US$ 1,9 bilhão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.