Tamanho do texto

Brasileiros devem gastar mais para assistir aos jogos em aparelhos de 50 polegadas para cima, cuja demanda já cresceu 59% em 2011

Demanda por TVs de mais de 50 polegadas deve explodir com a Copa, prevê a Sony
Divulgação
Demanda por TVs de mais de 50 polegadas deve explodir com a Copa, prevê a Sony
Os televisores de tela grande, de 50 polegadas para cima, são a grande esperança dos fabricantes para a Copa do Mundo, que será realizada no Brasil em 2014. A expectativa é que os brasileiros troquem nos próximos dois anos seus aparelhos por um bem maior para assistir aos jogos , dando impulso a um segmento que ainda é modesto no País.

Veja Infográfico do iG: Saiba como evoluiu a tecnologia nas transmissões de TV desde a Copa de 1954

Mas será preciso preparar o bolso para poder ver os passes da seleção em alta definição numa telona. Um televisor de LED de 55 polegadas da Sony custa R$ 6 mil. Ainda assim, os fabricantes acreditam que os brasileiros não vão se contentar com pouco.

“ O mercado de televisores de 50 polegadas para cima vai explodir no Brasil com a Copa do Mundo”, afirma o gerente da linha Bravia, da Sony, Luciano Bottura, que lançou em 2011 no um modelo de 65 polegadas, a maior tela à venda nas lojas brasileiras.A Sony é um dos patrocionadores oficiais da Copa de 2014.

As vendas de televisores de 46 polegadas para cima no Brasil cresceram 40% no ano passado no Brasil em relação a 2010, número que torna o País um oásis em meio ao marasmo nos países desenvolvidos, onde a demanda está estagnada. A procura por TV de 55 polegadas aumentou ainda mais no mercado brasileiro: impressionantes 59%.

Leia também: Sony anuncia perda de US$ 2,64 bilhões entre abril e dezembro

E os brasileiros não estão comprando telas maiores para colocar somente na sala de estar. O consumo cresceu também entre restaurantes, bares e hotéis, que estão se equipando com aparelhos maiores para atrair clientela.

Televisor da Sony da 55 polegadas custa R$ 6 mil
Divulgação
Televisor da Sony da 55 polegadas custa R$ 6 mil
Segundo Bottura, essa maior demanda por aparelhos maiores e high-tech fez com que as vendas de TVs da Sony aumentassem 100% em 2011. De forma geral, o consumo de LCDs e LEDs cresceu em torno de 35% no País em 2011, totalizando 8,5 milhões de unidades.

Neste ano, a multinacional espera que suas vendas aumentem 25%, superando novamente o crescimento estimado de 18% para o mercado de televisores de tela fina.

Leia também: Mundo terá 500 milhões de televisores com internet em 2015, segundo estudo

A Sony, que foi sinônimo de inovação em aparelhos eletrônicos nos anos 80 e é até hoje uma das marcas mais fortes no setor, perdeu espaço nos últimos vinte anos para as coreanas Samsung e LG. Mas as três agora enfrentam no exterior uma concorrência mais acirrada de marcas mais baratas, sobretudo chinesas, à medida que os televisores de LCD transformaram-se rapidamente em commodity. Televisores de LED em 3D são a aposta das grandes marcas para se livrar da guerra de preços nos televisores menores.

Ainda incessíveis ao bolso de boa parte da população, os televisores com mais de 46 polegadas ainda representam apenas 12% das vendas de LEDs e LCDs. Grande parte demanda ainda é por aparelhos de 32 polegadas, que responderam por 38% das vendas no ano passado, e de 40 ou 42 polegadas, que representaram cerca de 30% do mercado. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.