Tamanho do texto

Página da empresa na internet teria infringido regras do buscador para ficar no topo das pesquisas dos internautas

O site de vendas de passagens aéreas Decolar desapareceu das buscas orgânicas do Google, possivelmente por infringir as regras da empresa americana de classificação de páginas na internet.

Ao longo desta quarta-feira, quem digitou o “site:decolar.com” não encontraria nenhum documento relacionado ao site da empresa, nem sequer a principal página da Decolar de venda de passagem aérea pela web. Os anúncios pagos pela empresa de turismo continuam aparecendo na busca.

A ausência da Decolar na lista de buscas orgânicas foi comentada no Twitter. “Dizem as más linguas que a Decolar.com mudou para Aterrizar.com (sic)”, ironizou Fabiano Souza , um usuário do microblog. Procurado pelo iG , o site Decolar informou que está investigando o caso internamente. A assessoria de imprensa do Google no Brasil, por sua vez, disse que não comenta casos específicos.

O site Decolar teria sido punido por má conduta. Ou, na linguagem especializada, por prática de “black hat” – se confirmado seria o primeiro grande caso de desaparecimento de uma página conhecido no Brasil. O termo faz uma alusão aos filmes de cowboy (ou mafiosos), em que os bandidos usavam sempre o chapéu preto.

“É uma pena muito severa”, diz Fábio Ricotta, co-fundador da empresa Mestre SEO , especializada na otimização de mecanismos de buscas, uma nova ciência que tenta decifrar os milhões de cálculos algorítimos do Google para classificação de páginas. “A Decolar deverá ter uma pesada perda de tráfego de usuários, o que se traduzirá em perdas no faturamento da companhia.”

De acordo com estimativas com base em ferramentas da internet, o site Decolar tem mais de 100 mil visitantes por mês oriundo da busca orgânica do Google. Fundado em 1999, a empresa Decolar é considerada a maior agência de viagens online da América Latina. O site originou-se da empresa Despegar, da Argentina, que possui planos de abrir o capital na Nasdaq em 2012, a bolsa eletrônica dos EUA.

Práticas nada usuais

A punição dada pelo Google se deve ao fato de empresas utilizarem de técnicas nada convencionais para aparecer no topo da lista de buscas por palavras-chaves, de forma a chamar atenção dos interessados que compram o produto ou o serviço oferecido pela companhia. Recentemente, o site de vendas online da loja de departamento americana JC Penney foi punido pelo Google por desrespeito às mesmas normas. Até agora, o site da loja americana não apareceu nas buscas.

nullPara Fábio Ricotta, uma das hipóteses para a punição da Decolar é o site ter cometido uma infração de “cloaking”. Isso já ocorreu na Alemanha com a montadora BMW, punida por má conduta. Em 2006, enquanto a empresa apresentava uma página na internet ao usuário, ela havia programado uma outra para ser rastreada pelos mecanismos de busca. Nesta página, citava várias vezes a palavra "gebrauchtwagen", que significa em alemão "carro usado", um dos termos mais pesquisados no Google. Na original exibida aos internautas, nenhuma referência.

Outra suposição, segundo Ricotta, seria a colocação de links em outros sites na internet – páginas “fabricadas” para atingir o topo de lista de buscas. Segundo levantamento utilizando a ferramenta MajesticSEO.com , os chamados "backlinks" voltados ao site Decolar.com cresceram substancialmente a partir de outubro do ano passado. De menos de 20 mil “backlinks” em setembro, o número de saltou para 50 mil em outubro. Em novembro, alcançou quase 100 mil para em seguida atingir mais de 300 mil em dezembro e mais de 450 mil em janeiro de 2011.

“A punição do Google ao Decolar pode demorar duas, três semanas”, explica Ricotta. “A empresa terá, por exemplo, de remover todos os links que colocou em outras páginas. E, mesmo voltando a aparecer nas buscas, não irá aparecer necessariamente no topo, podendo aparecer em segundo ou terceiro lugar, porque terá de comprovar a regularidade do site.”