Tamanho do texto

Pesquisa nos EUA mostrou que só 21% das pessoas incluíram seus supervisores na lista de amigos. Mais velhos são mais cautelosos

Pesquisa mostra que pessoas evitam ser amigas do chefe no Facebook
Thinkstock/Getty Images
Pesquisa mostra que pessoas evitam ser amigas do chefe no Facebook
Para evitar tensões no ambiente de trabalho causadas por comentários feitos nas redes sociais, muitas pessoas são cautelosas quanto a incluir o chefe ou subordinados em suas listas de contatos.

Uma pesquisa feita pelo Russel Herder mostrou que apenas 21% dos funcionários são amigos no Facebook de seus supervisores nos Estados Unidos, segundo a CNBC.com.

Leia também:

Facebook melhora exibição de fotos e lança filtro para conhecidos

Os mais jovens são mais abertos a se relacionar com o chefe na rede socal. Entre os funcionários de 18 a 24 anos, 26% não veem problemas em ser amigo de seus superiores no trabalho, percentual que cai para 10% entre as pessoas com 35 anos ou mais.

Os mais desconfiados são as pessoas acima de 55 anos: 44% acreditam ser inapropriado ser amigo de quem recebe ordens. Mas, entre os internautas de 18 a 34 anos, essa taxa é de 28%.

Os homens tendem a encarar o Facebook como um ambiente de relacionamento profissional mais do que as mulheres, que veem a rede social de maneira mais pessoal.

As amizades no Facebook dos chefes com seus funcionários poderiam motivar processos de assédio sexual? Se essa pergunta preocupa as empresas, a melhor forma de prevenir eventuais constrangimentos é criar uma página corporativa no Facebook, onde os funcionários podem se conectar entre eles sem se sentir pessoalmente pressionados, sugere a CNBC.

    Leia tudo sobre: Facebook
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.