Tamanho do texto

Blog DealBook, do jornal The New York Times, diz que a empresa norte-americana considerou as ofertas muito baixas

selo

O conselho da companhia americana de alimentos Sara Lee Corp rejeitou tanto as ofertas de aquisição feitas pelo frigorífico brasileiro JBS quanto as propostas do consórcio liderado pelo fundo de private equity Apollo Global Management. A informação foi divulgada no blog DealBook, do jornal The New York Times, que menciona pessoas familiarizadas com as negociações.

De acordo com o blog, a Sara Lee considerou as ofertas muito baixas e deve se concentrar num projeto de cisão entre os segmentos de carnes e de café, que serão negociados separadamente. O porta-voz da Sara Lee não comentou o caso e um anúncio formal deve ser feito nos próximos dias. O fundo Apollo e a brasileira JBS também se negam a comentar o assunto.

Fontes do mercado estimaram em US$ 21 por ação o valor da oferta formal feita pelo JBS à companhia americana no início desta semana. O fundo de private equity Blackstone Group trabalhou junto com o JBS na oferta e estaria interessado em assumir as operações da Sara Lee com café. Anteriormente, o JBS já teria feito uma oferta de US$ 17,50 por ação, que foi rejeitada.

Disputa

A Sara Lee avaliava também uma proposta apresentada por um consórcio liderado pelo grupo de private equity Apollo Global Management, em parceria com o investidor C. Dean Metropoulos. O investidor, que adquiriu a cervejaria Pabst Brewing no ano passado, é um veterano da indústria de bens de consumo e foi executivo chefe da Pinnacle Foods, que foi vendida para o Blackstone Group em 2007 por US$ 1,3 bilhão.

O consórcio incluía ainda a Bain Capital e a TPG Capital. "Os papéis da Sara Lee estão nas mãos de muitos especuladores no momento, na expectativa de que alguém virá salvá-los. O anúncio de que dividirão a empresa não é bom para essas pessoas. Elas não estão confiantes de que conseguirão o mesmo valor, infelizmente", disse o presidente e gerente de portfólio da James Advantage Funds, Barry James.

Seu fundo controla mais de 200 mil ações da Sara Lee. No Brasil, a Sara Lee é líder no mercado de cafés, tendo sob seu controle marcas como Café Pilão, Café Caboclo, Café do Ponto e Seleto, entre outras. No fim de novembro, a companhia comprou a paranaense Café Damasco, em um negócio estimado em R$ 100 milhões, que serviu para consolidar sua liderança no setor.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.