Tamanho do texto

Parceria pretende ampliar uso de tecnologia de pagamento móvel na rede de clientes do banco e da processadora de cartões

A operadora de telefonia Oi fechou um acordo com a Cielo, empresa processadora de pagamentos, e o Banco do Brasil (BB) para o desenvolvimento do mercado de pagamentos por meio do telefone celular. O acordo foi anunciado nesta quarta-feira por executivos das três empresas em São Paulo.

Denilson Molina, do Banco do Brasil, Eduardo Chedid, da Cielo, e João Silveira, da Oi, anunciam parceria em São Paulo
Divulgação
Denilson Molina, do Banco do Brasil, Eduardo Chedid, da Cielo, e João Silveira, da Oi, anunciam parceria em São Paulo
A parceria da Oi acontecerá por meio de dois movimentos: será criada uma joint-venture com a Cielo para atuar na tecnologia de "mobile payment", que significa o pagamento de transações por meio da telefonia celular. O segundo movimento é a parceria feita pela Oi com o Banco do Brasil para a emissão de cartões de crédito "co-branded" e cartões pré-pagos, que poderão ser usados tanto por meio físico como pela tecnologia móvel. 

"O acordo potencializa o pagamento via celulares, pois alia a tecnologia inovadora da Oi, a ampla capacidade de crédito do Banco do Brasil e a maior rede de pagamentos do País operada pela Cielo", diz o comunicado das empresas.

Rede credenciada

“Estamos aliando uma base de clientes enorme da Oi, de cerca de 60 milhões de usuários, a uma rede de 1,8 milhão de estabelecimentos credenciados pela Cielo”, disse João Silveira, diretor de Mercado da Oi. Atualmente, a rede de aceitação de pagamento por meio de celular soma 75 mil pontos no Brasil, e a meta é atingir todos os estabelecimentos credenciados da Cielo.

O foco das empresas ao criar a nova parceria serão os clientes de baixa renda, segundo o executivo da Oi. “Para o público de alta renda, vamos oferecer uma nova solução, uma comodidade. Mas vemos uma grande oportunidade principalmente no público de baixa renda”, afirma Silveira.

“Além da classe C, também vamos atuar no público de classes D e E, que já possui o celular e terá facilidade para fazer a transação”, acrescenta Denilson Molina, diretor de Cartões do Banco do Brasil.

Além do pagamento de compras por meio do celular, as empresas também vão atuar em produtos financeiros, em princípio, oferecendo microcrédito aos clientes de baixa renda, segundo os executivos.

Joint-venture

A Oi, que é controlador do iG , já possuía desde 2006 uma empresa responsável pelo uso pioneiro de sistemas de compras por meio da telefonia celular, chamado Paggo, com 250 mil usuários cadastrados. A Cielo está comprando metade da empresa, que terá o controle compartilhado com a Oi, e se chamará Paggo Soluções.

Em 180 dias, outros detalhes da joint venture serão definidos, disse Eduardo Chedid, vice-presidente de Soluções e Negócios da Cielo. As companhias vão decidir quem serão os diretores nos próximos três meses. A operação será apresentada ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Disputa

O anúncio desta quarta-feira é mais um movimento da Cielo na disputa por mercado com a credenciadora Redecard. Desde 1º de julho, quando terminou a exclusividade no setor de cartões, a Cielo e a Redecard passaram a atuar com as principais bandeiras, Visa e Mastercard.

Desde então, várias parcerias foram anunciadas. Entre elas, a Cielo passou a operar com a bandeira Ticket, do segmento de refeição e alimentação, e com a marca regional Sorocred. A Redecard, que atua com a Visa desde julho, anunciou parceria com a administradora de cartões Sistema de Crédito Cooperativo (Sicredi).

A parceria anunciada nesta quarta-feira é o segundo movimento da Cielo no negócio de pagamento via celular nos últimos dois meses. Em agosto, a credenciadora de cartões comprou 50,1% da empresa de tecnologia M4U, que possui as maiores plataformas de recarga de celulares pré-pagos e também de pagamentos móveis do País. A aquisição custou R$ 50,1 milhões à credenciadora de cartões.