Tamanho do texto

A Copa e até as enchentes no Nordeste, região que representa 15% das vendas, estão inibindo o mercado de carros novos

A Copa e até as enchentes no Nordeste, região que representa 15% das vendas, está inibindo o mercado de carros novos. Ainda assim, o resultado deve ser melhor que o de maio. Até sexta-feira foram licenciados 214,8 mil veículos. A perspectiva das montadoras é de chegar em 260 mil. Se confirmado, o número será 3,5% superior ao de maio (251,1 mil unidades), mas 13% abaixo de junho do ano passado ( 300,2 mil unidades). Há um ano, houve corrida às lojas pois o mercado esperava o fim da redução do IPI, que acabou sendo prorrogada pela segunda vez. Deve ser a primeira vez, desde julho de 2009, que as vendas vão cair na comparação entre meses iguais. Lojistas informam que continuam com estoques elevados, mas a suspensão de atividades por causa dos jogos da Seleção reduziram o movimento e poucas marcas recorreram a feirões. As vendas no primeiro semestre somam, até sexta-feira, 1,531 milhão de veículos (incluindo caminhão e ônibus), alta de 8,6% ante igual período de 2009. O porcentual já está próximo da meta da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), de crescimento de 8,2% nas vendas para todo o ano, o que dará cerca de 3,4 milhões de unidades. Até maio, o crescimento acumulado estava acima de dois dígitos. No ranking de vendas de automóveis e comerciais, a Fiat mantém a liderança em junho, com 24,5% de participação, seguida por Volkswagen (21,5%), GM (19,1%) e Ford (10%). O Gol segue como modelo mais vendido, com 18,7 mil unidades. Houve mudança na vice-liderança, que passou a ser do Uno (15,7 mil unidades). O compacto ganhou nova versão em maio e está agora na posição tradicionalmente mantida pelo Palio, que caiu para o quarto lugar (8,2 mil unidades), atrás do Celta (8,5 mil).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.