Tamanho do texto

Fabricantes como Taruma, Zeca’s e Jundiá estão entre as cinco primeiras marcas em algumas regiões do País, segundo Nielsen

A Jundiá, marca de sorvete regional da cidade da região de Jundiaí, interior de São Paulo, está entre as cinco primeiras marcas mais consumidas no Brasil, atrás somente da Kibon e Nestlé. No interior paulista, a companhia já é líder de vendas no segmento palito, deixando para trás sorvetes como Magnun, Cornetto, Fruttare e Tablito, da Kibon, de acordo com dados divulgados pela Nielsen, empresa especializada em pesquisa de consumo.

Na mesma esteira estão as marcas Zeca’s, segunda maior no segmento massa na região Nordestes, e a Taruma, quinta marca mais consumida nas regiões de Minas Gerais, Espírito Santo e interior do Rio de Janeiro. Segundo Eduardo Weisberg, presidente da Associação brasileira das indústrias de sorvete (Abis), as marcas regionais estão ganhando bastante destaque no setor. “Dependendo da região, a participação de mercado das marcas é maior na comparação com as gigantes”, disse.

A Jundiá este ano planeja expandir sua bandeira para outros Estados. A companhia só atua em São Paulo e Rio de Janeiro. “Vamos levar a nossa marca para o sul de Minas Gerais, Mato Grosso e Paraná”, afirmou Thaíne Cal, gerente de marketing da companhia.

A marca surgiu há 30 anos e no começo produzia sorvetes artesanais, hoje conta com um portfólio de mais de 80 sabores, divididos em dez linhas. "O +Copão é o carro chefe da empresa e trabalhamos com uma margem de dez lançamentos por ano, o que torna o nosso portfólio completo", disse Thaíne.

Com preço inferior ao da concorrência, um pote de dois litros do sorvete Jundiá chega a custar até 40% menos que as marcas mais tradicionais, como Nestlé e Kibon. Segundo o engenheiro do setor de alimentos, Carlos (que prefere não ter o sobrenome revelado), os sorvetes Jundiá tem um excelente processo de fabricação e isso reflete na qualidade. "Os produtos Jundiá estão à altura das marcas mais tradicionais", afirmou.  

O Brasil é décimo país do mundo na produção de sorvete. No País são mais de dez mil empresas, 90% delas são micro e pequenas companhias. Em 2009, o mercado de sorvete movimentou aproximadamente R$ 2 bilhões, o setor gera mais de 100 mil empregos diretos.

Segundo ranking da Nielsen, os sorvetes de massa mais consumidos no Brasil são Kibon, Nestlé, Carte D’or da Kibon, Galak, da Nestlé, e Jundiá. Os de palito são Fruttare, Cornetto, Magnun, Tablito e Chicabon, todos da Kibon.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.