Tamanho do texto

Rede varejista lucrou R$ 126 milhões no período; resultado não incorpora operações da Casas Bahia

O Grupo Pão de Açúcar registrou um lucro líquido consolidado, que inclui as operações do Ponto Frio, de R$ 126,2 milhões no primeiro trimestre deste ano, representando uma alta de 32,9% ante igual período do ano passado. Sem considerar o Ponto Frio, o lucro líquido da companhia avançou 36,9%, para R$ 129,9 milhões. Os resultados não incorporam os números da Casas Bahia, que se associou à companhia em dezembro do ano passado.

A geração de caixa, medida pelo Ebitda (sigla em inglês para lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização), consolidada totalizou R$ 410,4 milhões, o que significou uma alta de 31,4% ante o mesmo intervalo o ano passado, enquanto a margem Ebitda encerrou o período em 5,9%, queda no período de 0,8 ponto porcentual. Sem o Ponto Frio, o Ebitda avançou 20,8%, para R$ 377,2 milhões, e a margem caiu 0,1 ponto porcentual, atingindo 6,6%.

A receita líquida consolidada da varejista de janeiro a março foi de R$ 6,973 bilhões, o que representou uma alta de 50,2% em comparação aos três primeiros meses de 2009. A margem bruta recuou 1,3 ponto porcentual, para 24%. A empresa informou que, desconsiderando os números do Ponto Frio, a receita líquida avançou 23,2%, para R$ 5,716 bilhões, enquanto a margem bruta recuou 0,7 ponto porcentual, para 24,6%.

As vendas brutas no conceito mesmas lojas (aquelas abertas há mais de um ano), que excluem as operações do Ponto Frio, avançaram 15% no primeiro trimestre sobre igual período do ano passado. Em termos reais, deflacionadas pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), as vendas reais aumentaram 9,6%. Ainda no conceito mesmas lojas, as vendas brutas de produtos alimentícios subiram 13,5% e as não alimentícias cresceram 19,5%.

De acordo com o Pão de Açúcar, cerca de 1,8 ponto porcentual do crescimento das vendas no conceito mesmas lojas foi influenciado pelo efeito sazonal da Páscoa - que este ano aconteceu na primeira semana de abril, enquanto há um ano caiu na segunda semana de abril - gerando uma antecipação de compras no período final de março.

Sem considerar as lojas da Casas Bahia, a varejista encerrou o primeiro trimestre com 1.089 unidades. Os investimentos somaram R$ 207,1 milhões no período, ante R$ 100,3 milhões do mesmo intervalo do ano passado, uma alta de 106%. A empresa já divulgou uma projeção de aportes R$ 1,6 bilhão para 2010.

De janeiro a março, foram abertas 11 novas lojas, sendo uma do formato 'power center', que concentra no mesmo terreno as bandeiras de varejo Extra e 'atacarejo' Assai, em Palmas (Tocantins). Já da bandeira Extra Fácil foram inauguradas 9 lojas. Houve ainda uma conversão de CompreBem para Assai, em Pernambuco.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.