Tamanho do texto

SÃO PAULO - A cervejaria holandesa Heineken reportou lucro de 520 milhões de euros no terceiro trimestre, o que corresponde a um crescimento orgânico ligeiramente acima de 10% em relação a igual período de 2009

. Influenciada pela incorporação da divisão de cervejas da mexica Femsa, a receita da Heineken atingiu 4,619 bilhões de euros no trimestre, com alta de 13% na comparação anual. Sem considerar a aquisição, no entanto, as vendas mostraram queda de 2,1%. No balanço, o grupo afirma que a queda nos volumes vendidos foi compensada por aumentos nos preços e um mix de vendas mais favorável em valores. A empresa destaca que as vendas de cerveja cresceram 28%, chegando a 55,5 milhões de hectolitros entre julho e setembro. A consolidação dos números da Femsa adicionou 10,4 milhões de hectolitros ao resultado do grupo. As vendas da marca no mercado internacional no segmento premium subiram 2,2%, para 6,9 milhões de hectolitros - em um desempenho puxado pelo consumo no Brasil, África do Sul, Taiwan, Vietnã, França e Nigéria, mercados que ajudaram a compensar a baixa nos volumes negociados nos Estados Unidos, na Espanha, na Polônia e na Grécia. A empresa cita em seus resultados que as vendas seguem fortes no Brasil. Por outro lado, condições climáticas desfavoráveis enfraqueceram o mercado no México. (Eduardo Laguna | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.