Tamanho do texto

Após a produção ter início no País, o preço deve cair de 15% a 20% em relação ao lançamento, diz diretor

selo

A chinesa Lenovo, uma das quatro maiores fabricantes de computadores do mundo, deve lançar "dentro de três a quatro semanas" um tablet (computador em forma de prancheta, cujo modelo mais conhecido é o iPad, da Apple) voltado para o mercado corporativo, disse hoje, em São Paulo, o diretor de produtos da Lenovo no Brasil, Jaison Patrocínio.

De acordo com ele, a empresa vai importar o produto durante cerca de dois meses e, depois, por meio de parcerias, ele começará a ser produzido no Brasil. "Nossa estratégia não é ter fábrica no Brasil. Vamos contar com parceria para a manufatura." Patrocínio afirmou que, após a produção ter início no País, o preço do tablet deve cair de 15% a 20% em relação ao preço de lançamento do produto. Ele não mencionou qualquer valor, mas disse que será mais barato que o iPad.

O gerente de produto da Lenovo no Brasil, Jorge Moncau, afirmou que a empresa já está desenvolvendo um tablet visando ao mercado varejista. Ele disse que espera lançar o tablet para o varejo até o Natal, para aproveitar as compras de fim de ano.

Em evento hoje, a Lenovo lançou dez novas linhas de computadores, tanto para o mercado corporativo como para o varejo, com destaque para o X1, "o ThinkPad (notebook focado no mercado corporativo) mais fino do mundo, com apenas 16 milímetros de espessura e bateria com duração de dez horas".

Crescimento

A fabricante chinesa projeta crescer 77% no Brasil este ano, com foco no mercado varejista. No ano passado a empresa registrou expansão de 75% no País. Segundo Patrocínio, a empresa quer atingir dois dígitos de participação de mercado no Brasil em dois anos - hoje a companhia detém próximo de 9%.

Ainda que atinja a meta, Patrocínio disse que a Lenovo, que hoje está em 8.º lugar, não deve assumir a liderança no Brasil. "Vamos ficar na segunda ou terceira posição." A empresa apresentou oficialmente hoje o executivo Xia Li como presidente para as operações no Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.