Tamanho do texto

Dívidas das empresa, que conduziu um famoso esquema de pirâmide até 2001, somam mais de R$ 2,2 bilhões

Contratados de engorda de gado foram febre e atraíram vários investidores de classe média no fim dos anos 90
Randes Nunes/Foto Arena
Contratados de engorda de gado foram febre e atraíram vários investidores de classe média no fim dos anos 90
As 14 fazendas do grupo Boi Gordo começam a ser leiloadas pela Justiça de São Paulo na segunda-feira, dia 07 de novembro, segundo comunicado enviado à imprensa. O valor obtido com a venda dos imóveis será utilizado para o pagamento dos credores da Boi Gordo, que faliu em 2004, com dívidas de R$ 2,2 bilhões. O esquema de “pirâmide” financeira praticado pelo grupo desmoronou em 2001, prejudicando cerca de 30 mil investidores.

Na segunda-feira, serão leiloadas duas propriedades rurais no Mato Grosso: a Fazenda Alteza I e II, avaliada em R$ 744 mil, situada no município de Cárceres, e a Fazenda Primavera, em Poconé, avaliada em R$ 1,380 milhão. No dia 24 de novembro, outras duas fazendas serão leiloadas e, ao longo de 2012, as demais.

A expectativa da Justiça é de que sejam arrecadados mais de R$ 200 milhões com a venda de todas as propriedades da empresa, segundo comunicado. Mas apenas as dívidas trabalhistas e fiscais do grupo, que têm prioridade no pagamento, devem somar mais de R$ 100 milhões.

A Fazendas Reunidas Boi Gordo oferecia aos investidores contratos que prometiam retorno de 42% em 18 meses com a engorda de boi para abate e com o crescimento de bezerros.

A Justiça, contudo, descobriu mais tarde que a empresa pagava os contratos vencidos com o dinheiro arrecadado com a entrada de novos investidores, e não com o lucro obtido com a engorda de gado. O esquema é configurado como “pirâmide”, considerado crime financeiro. Quando os saques superaram os investimentos, a pirâmide da Boi Gordo desmoronou.

Na época, a Boi Gordo declarou ter 100 mil cabeças de gado no pasto, mas deveria ter um número pelo menos dez vezes maior, de acordo com os valores recebidos dos investidores.

Leilões

Os leilões serão realizados na Casa Portugal, na cidade de São Paulo, e não permitirá lances virtuais, apenas presenciais. Os leilões serão realizados pela promotoria da Justiça de Falências de São Paulo e pelo o síndico da massa falida da empresa, Gustavo Sauer de Arruda Pinto.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.