Tamanho do texto

Segundo pesquisa da Hoteis.com, diária na "cidade maravilhosa" é 21% mais cara que em hotéis de alto padrão em Nova York

A piscina do hotel Marina Palace, com vista para o morro Dois Irmãos
Divulgação
A piscina do hotel Marina Palace, com vista para o morro Dois Irmãos
Os hotéis cinco estrelas do Rio de Janeiro são os mais caros do mundo. De acordo com uma pesquisa da Hoteis.com, site de reservas de hospedagem, a tarifa média cobrada pelos hotéis de alto padrão cariocas é de R$ 1.178,00 por noite.

O valor é 21% mais alto do que o preço das diárias em Nova York, onde os hotéis cobram R$ 970 em média.A cidade americana figura em segundo lugar na lista com as tarifas mais altas de hospedagem. 

Leia também: Maior parte das cidades da Copa tem hotéis de qualidade ruim

A cidade com os hotéis mais baratos é Lisboa. Uma acomodação de alto padrão na capital portuguesa custa apenas R$ 308 em média.

Segundo o levantamento da Hoteis.com, os hotéis no Brasil elevaram em 10% as tarifas em 2011. O aumento foi bem superior ao reajuste em outras partes do mundo. Globalmente, as tarifas subiram 4% no ano passado. Na América Latina, de forma geral, os hotéis subiram em 3% o preço das diárias.

Dos destinos brasileiros, Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, foi considerada a cidade mais cara para se hospedar no Brasil, cobrando R$ 430 mesmo com uma queda de 19%, em relação a 2010. Porém, entre as metrópoles brasileiras, a cidade do Rio de Janeiro foi considerada a mais cara no país, com 11% de aumento nos preços das hospedagens.

Na América Latina, as hospedagens que tiveram maior queda nos preços foram Iguazu, na Argentina, onde diária custa em média R$ 283, 10% menos do que o valor praticado em 2010. Em Riviera Maya, no México, os hotéis de R$ 287, 9% menor que em 2011.

Já Bariloche, na Argentina, apresenta diária de R$ 293, registrando decréscimo de 8%.

Copa do Mundo

Com os preparativos da Copa do Mundo em 2014, ainda deve haver um aumento significativo nos preços das diárias de hotéis no Brasil. Mas o estudo revela que nem sempre esses aumentos mostram capacidade de sustentação pós-evento. Na África do Sul, última sede da Copa, os preços das diárias na Cidade do Cabo sofreram queda de 28% em 2011, ano subsequente à Copa do Mundo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.