Tamanho do texto

Estreia na bolsa das ações da Playboy Enterprises, que edita a revista, ocorreu em 1971; fundador diz que quer zelar pela marca

Hugh Hefner na comemoração de seus 84 anos, em abril: fundador da Playboy diz se preocupar com
Getty Images
Hugh Hefner na comemoração de seus 84 anos, em abril: fundador da Playboy diz se preocupar com "o legado da empresa"

A companhia Playboy Enterprises anunciou nesta segunda-feira que Hugh Hefner, seu fundador, fez uma proposta para comprar as ações da empresa por US$ 5,50 o papel e, com isso, tirá-la da bolsa. A Playboy Enterprises, que publica a revista "Playboy" e produz outros conteúdos adultos para televisão e internet, foi criada por Hefner em 1953. Em 1971, a companhia abriu seu capital na bolsa de Nova York.

Por meio de um comunicado de imprensa, a Playboy Enterprises informou que seu conselho de administração recebeu uma carta com uma proposta de compra de Hefner, que possui 69,5% das ações classe A e 27,7% dos papéis classe B, embora ainda não tenha tomado uma decisão sobre o assunto.

"Não pode haver garantia de que haverá alguma oferta definitiva, um acordo ou que esta ou qualquer outra transação será aprovada ou consumada", esclareceu a companhia, acrescentando que Hefner comunicou que manteve contatos com a empresa Rizvi Traverse Management para realizar a operação.

O fundador da "Playboy" manifesta em sua carta que, dada sua preocupação com a marca, a direção da revista e o legado da empresa, não tem interesse algum em vender ou fundir a companhia ou se desfazer de suas ações. A empresa disse que, se a oferta seguir adiante, o conselho de administração formará um comitê especial para avaliar a proposta. As ações da Playboy Enterprises tiveram alta hoje de 40,36%, até US$ 5,53, pouco antes da metade do pregão na bolsa de Nova York.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.