Tamanho do texto

Empresa aérea atribui resultado ao aumento de custos e de despesas e à variação do dólar

A companhia aérea Gol encerrou o quarto trimestre com lucro líquido de R$ 54,3 milhões, queda de 58,9% sobre o resultado apurado um ano antes, afetado por aumento de custos e despesas e variação cambial.

A empresa apurou uma geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação, amortização e aluguel de aeronaves de R$ 238,9 milhões, queda ante os R$ 475 milhões registrados no quarto trimestre de 2010.

Analistas consultados pela Reuters não tinham uma linha de estimativas comuns para a empresa sobre o quarto trimestre. Das cinco estimativas obtidas para a empresa, três apontavam para prejuízo, de R$ 96 milhões na média, e duas estimavam lucro de R$ 101,2 milhões e R$ 245 milhões.

No ano, a Gol sofreu um prejuízo de R$ 710,4 milhões frente a um lucro líquido de R$ 214,2 milhões em 2010, "principalmente, por conta de impacto negativo da depreciação do real frente à moeda norte-americana no final de período (...), aumento de 23,2% no custo do querosene de aviação", informou a companhia no balanço.

Além do câmbio e do combustível, a empresa ainda teve custos com devolução de aeronaves Boeing 767 menos eficientes, multas com rescisão de contratos com fornecedores e despesas com ativos das adquiridas Varig e WebJet.

No quarto trimestre, as despesas operacionais da empresa subiram 41%, puxadas por salto de 56,6% nos custos com combustíveis, 30,3% com pessoal e de 147,8% com material de manutenção.

Para 2012, a Gol espera reduzir seus custos em R$ 500 milhões após medidas tomadas em 2011 que incluíram a devolução de 5 Boeings 767, em um ano em que a empresa prevê um crescimento na demanda do mercado brasileiro de 7% a 10%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.