Tamanho do texto

Criada há um ano, agência online de viagens planeja quadruplicar faturamento em 2011, para R$ 220 milhões

Criada há apenas um ano, a agência de viagens online ViajaNet acaba de receber um aporte de dois fundos estrangeiros, que compraram 40% do capital da companhia. A empresa, que é voltada para as classes C e D, não revela os valores envolvidos na operação.

Com os recursos, a meta é quadruplicar o faturamento do site em 2011, para algo próximo a R$ 220 milhões. 

"Os fundos estão olho no Brasil, que oferece grandes oportunidades para rentabilizar o capital. E a internet é muito desenvolvida no País. O Brasil é um caso de sucesso no mundo nesse campo", afirma Alex Todres, que fundou o site de viagens com o amigo Bob Rossato, em 2009. Ambos são egressos da Decolar.com, uma das maiores agências online do País, e ambicionam transformar a ViajaNet em uma concorrente à altura de sua ex-empregadora na venda de passagens e pacotes turísticos pela internet.

Em seus planos iniciais, os dois empresários acreditavam que a ViajaNet pudesse faturar R$ 22 milhões em seu primeiro ano de vida. Mas as metas foram facilmente superadas já nos seis primeiros meses de operação. Em 2010, a agência online agora prevê chegar a um faturamento de R$ 55 milhões, mais do que o dobro do previsto inicialmente.

O site recebe 2 milhões de visitas por mês e o público é essencialmente de pessoas das classes C e D, que buscam os preços mais baixos. "Vendemos passagens de avião para quem, antes, só viajava de ônibus. Esse é o nosso cliente", diz Todres.

Novos sócios

Os dois fundos que se associaram à empresa são IG Expansion, da Espanha, e o Redpoint Ventures, dos Estados Unidos. Quando decidiram criar a agência online, Todres e Rossato já haviam levantado recursos com o fundo americano  Travel Investment Teconology (TIT), que associou-se ao projeto logo de partida e ainda continua no capital da companhia. O Redpoint possui investimentos em empresas de internet nos EUA como MySpace, Netflix, TiVo e Juniper.

Expansão para América Latina

Com a nova injeção de recursos, a ViajaNet vai investir em plataforma tecnológica, marketing e operações. O escritório da empresa já emprega cerca de 70 funcionários, mais do que o dobro de quando foi criada, e o atendimento pelo call center, que é próprio, já trabalha hoje com dois turnos. "Na semana passada, havia no escritório uma fila de mesas vazias. Hoje, elas já estão todas ocupadas", diz Todres, ao ilustrar o ritmo frenético de crescimento da empresa. 

O horizonte da agência online vai além do Brasil. A ViajaNet pretende expandir sua atuação para a América Latina e vender pacotes e passados nos países da região.  

Ferramentas

Uma das ferramentas desenvolvidas pela ViajaNet é um serviço de busca de preços, que permite aos clientes pesquisar as datas com os preços mais em conta das passagens. Para isso, basta digitar a rota desejada, sem as datas. O programa oferece as diferentes opções de preços, em dias diferentes. "A pessoa quer ir de São Paulo a Belo Horizonte, mas descobre que, no dia 14, por exemplo, o preço é mais barato que no dia 13. Se ele quiser, ele pode reprogramar a sua viagem para pagar menos", diz o fundador da ViajaNet. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.