Tamanho do texto

Itens que costumam ser mais procurados para a data subiram, em média, menos que a inflação no período, que foi de 5,5%

Além do programa a dois - que pode sair mais caro este ano -, o Dia dos Namorados caracteriza-se pela tradicional troca de presentes entre os casais. Mas nesse caso, os itens que costumam ser mais procurados para a data subiram, em média, menos que a inflação no período, que foi de 5,5%, segundo dados do IPC.

Os homens podem até se sentir aliviados com a conta. Os produtos que ficaram mais baratos foram agasalho feminino, que caiu 14,07%, blusa feminina (-6,61%), tênis feminino (-2,21%)e aparelho celular, que está 8,92% mais em conta, segundo a Fundação Getúlio Vargas, a FGV. Mas se a intenção for presentear com bijuterias, fica o alerta: elas estão custando 7% mais do que no Dia dos Namorados do ano passado.

Os bombons e chocolates, itens com muita procura na data, aumentaram 6,67%. André Bráz, economista da FGV, lembra que é preciso critério na análise dos gastos. "O preço do celular caiu 8,92%, mas o valor ainda é mais alto que o de outros presentes, enquanto o aumento de bijuterias e bombons não causa tanto impacto no orçamento." Ele aconselha ao consumidor a orientar-se pela pesquisa, mas ela não deve ser definitiva. "Pesquisar vai definir melhor a compra. Caso o consumidor encontre promoções, a aquisição pode se tornar mais interessante."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.