Tamanho do texto

"Precisamos pensar nos Correios como uma grande empresa logística no futuro", disse o presidente Wagner Pinheiro de Oliveira

selo

Wagner Pinheiro, presidente dos Correios
Divulgação
Wagner Pinheiro, presidente dos Correios
Os Correios devem concluir em julho um estudo iniciado em março sobre a viabilidade de a estatal adquirir participação minoritária em uma ou mais empresas aéreas de transporte de carga. A afirmação foi feita nesta segunda-feira pelo presidente dos Correios, Wagner Pinheiro de Oliveira, que participou de um seminário em São Paulo. "Precisamos pensar nos Correios como uma grande empresa logística no futuro", disse.

Segundo o executivo, a participação minoritária permitiria aos Correios agir mais diretamente na gestão da empresa aérea e também facilitaria a contratação dos serviços. No ano passado, os Correios tiveram problemas na rede postal noturna.

De acordo com Oliveira, caso os Correios decidam comprar uma participação minoritária em uma empresa aérea, o negócio dificilmente envolverá TAM ou LAN. "Essas empresas são focadas no transporte de passageiros. Estamos interessados em empresas de carga. Existem mais de dez no Brasil", disse.

Questionado sobre a possibilidade de os Correios virem a prestar serviço de telefonia no futuro, o executivo afirmou que isso, por enquanto, é apenas uma ideia. "O correio português oferece serviços de telefonia celular em parceria com a Portugal Telecom", disse. "Como os Correios foram impactados pela era digital temos que achar outras formas de relacionamento com a população e de prestação de serviços."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.