Tamanho do texto

Georges Plassat, que assumirá varejista europeia em abril, terá missão de diminuir a tendência de queda de lucro da empresa

O Carrefour, maior varejista da Europa, vai divulgar seus últimos resultados anuais sob o mandato de Lars Olofsson na quinta-feira, provavelmente destacando a magnitude da tarefa com a entrada do presidente-executivo Georges Plassat.

A varejista francesa, que sob a direção de Olofsson falhou em reverter os anos de desempenho ruim nos principais mercados europeus, deve cortar dividendos e custos de capital para preservar o caixa e o rating de crédito, seguindo uma redução do lucro operacional em 2011, uma vez que os consumidores cortaram gastos.

Com Plassat assumindo a companhia em abril, mas apenas exercendo o papel completo de presidente-executivo em junho, analistas estão descartando grandes anúncios estratégicos, além da provável ajuste no formato Planet.

O Carrefour, que está muito exposto a alguns dos mais fracos mercados europeus - como Espanha e Itália - e faz o volume de suas vendas nos hipermercados, também alertou em janeiro sobre o declínio do lucro operacional em 2011.

Nove analistas consultados pela Reuters esperam, em média, que o Carrefour anuncie uma queda de 19% no lucro anual de 2,196 bilhões de euros (US$ 2,9 bilhões) e um corte de 33% nos dividendos para 0,72 euro por ação.

Surpresas podem vir na forma de taxas mais extraordinárias devido à deterioração do ambiente econômico em países como Itália, e se o Carrefour optar por uma contabilidade clara para permitir que Plassat comece com uma folha limpa, disseram alguns analistas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.