Tamanho do texto

"Teremos quarta-feira manifestação do conselho para saber se vai julgar ou se vai abrir espaço de negociação", afirmou Mello

A Brasil Foods quer mais tempo para negociar e apresentar seus argumentos ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), que julga a fusão entre Sadia e Perdigão que gerou a empresa.

"Se quisermos firmar um acordo temos que ter mais tempo para discutir", disse o vice-presidente de Assuntos Corporativos da BRF, Wilson Mello, após deixar a reunião da qual também participaram o presidente da empresa, José Antonio do Prado Fay, e dois conselheiros do Cade, Ricardo Ruiz e Alessandro Octaviani.

Na semana passada, o relator do caso, Carlos Emmanuel Ragazzo, apresentou voto contrário à união das empresas, colocando em risco o negócio bilionário que criou uma potência global em processamento de carnes. Ruiz, por sua vez, pediu vistas, adiando a votação para a próxima quarta.

Segundo Mello, não houve na segunda-feira compromisso por parte do Cade em adiar a votação e uma eventual nova prorrogação só seria conhecida na quarta-feira na sessão plenária do conselho.

"Teremos quarta-feira manifestação do conselho para saber se vai julgar ou se vai abrir espaço de negociação", afirmou Mello.

Veja também:

Sob ameaça do Cade, Brasil Foods perde R$ 2,7 bilhões em junho

Em comunicado, BRF elogia suspensão de julgamento no Cade

Em dia de julgamento no Cade, ação da BRF lidera perdas na Bolsa

Fusão Sadia e Perdigão deve parar na Justiça

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.