Tamanho do texto

Empresa quer prazo maior para apresentar acordo que impeça a reprovação definitiva da fusão entre a Perdigão e a Sadia

selo

A BRF - Brasil Foods pediu mais tempo ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para tentar apresentar um acordo que impeça a reprovação definitiva da fusão entre a Perdigão e a Sadia. Na semana passada, em clima bastante tenso, o relator da matéria no conselho, Carlos Ragazzo, deu voto contrário à transação, por considerá-la danosa ao consumidor.

O julgamento foi suspenso pelo pedido de vista do conselheiro Ricardo Ruiz. O assunto voltará a ser discutido amanhã. Correndo contra o tempo, o presidente da BRF, José Antônio do Prado Fay, iniciou ontem o trabalho de convencimento dos conselheiros do Cade que ainda vão votar sobre a operação.

No início da noite, ele se reuniu, por cerca de uma hora, com os conselheiros Ruiz, Alessandro Octaviani e mais dois procuradores do Cade. Também participaram do encontro o vice-presidente de assuntos corporativos da empresa, Wilson Mello, e o advogado Paulo de Tarso Ramos Ribeiro.

"Nós estamos tentando fazer com que esse pedido de vista seja uma oportunidade para que a empresa consiga explicar seus argumentos e encontre uma solução negociada com o Cade", afirmou Mello, após o encontro. A estratégia da empresa é ganhar tempo para conseguir negociar um acordo.

"A partir da manifestação do conselheiro (Ruiz), nós vamos saber se ele vai julgar ou se vai abrir o espaço para negociação. Só vamos saber isso de fato na quarta-feira", disse Mello. "Se nós quisermos firmar um acordo, precisamos de tempo para discutir." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.