Tamanho do texto

No Mercosul, que engloba Brasil e Argentina, vendas cresceram 23,4%. Queda nas vendas na Venezuela pressionou demais regiões

O Brasil compensou a queda da receita da Coca-Cola Femsa, engarrafadora mexicana da marca, em outros mercados da América Latina. "Apesar das condições difíceis nas nossas divisões do México e da região central da América Latina, o forte desempenho das nossas franquias no Brasil, em combinação com nossas iniciativas de preços, estimularam nosso crescimento das receitas em moeda local", afirmou o presidente da Coca-Cola Femsa, Carlos Salazar Lomelin, em documento. 

O terceiro trimestre representou para a Coca-Cola Femsa um período de pequenos avanços nos resultados. Entre julho e setembro, o lucro líquido da empresa mexicana engarrafadora da Coca-Cola somou 2,249 bilhões de pesos mexicanos (US$ 173 milhões), um leve crescimento de 0,5% na comparação com o mesmo período do ano passado.

A receita das operações da empresa no México apresentou leve crescimento de 3,4%, para 9,903 bilhões de pesos mexicanos no período.

Segundo divulgou hoje a companhia em nota, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) cresceu 5,9%, para 5,239 bilhões de pesos mexicanos.

A receita totalizou 25,675 bilhões de pesos mexicanos (cerca de US$ 2 bilhões), o que representou uma queda de 1,3% na comparação com o mesmo período do ano passado. Os dados, de acordo com o documento, foram influenciados pela desvalorização da moeda da Venezuela e, se fossem contabilizados em bases neutras para o câmbio, as receitas teriam avançado aproximadamente 13%. Diante da queda de 1,8% no volume de vendas no país, a estratégia da empresa foi de aumentar os preços médios por unidade de produto.

A divisão da área central da América Latina - que compreende Colômbia, Venezuela, Guatemala, Nicarágua, Costa Rica e Panamá -, no entanto, pressionou os resultados gerais do terceiro trimestre, marcando queda de 22,3% na receita, para 7,649 bilhões de pesos mexicanos. O volume de vendas recuou 5,3% na região.

Já na divisão do Mercosul - que engloba Brasil e Argentina -, a empresa quase conseguiu compensar as perdas com um crescimento de 23,4% na receita total desses países, atingindo 8,123 bilhões de pesos mexicanos.

Quando se excluem os dados referentes aos negócios de cerveja - vendidos para a holandesa Heineken no início do ano - as receitas avançaram 23%, para 7,304 bilhões de pesos mexicanos.

O volume de vendas na área do Mercosul cresceu 10,2% no período.

Acumulado em nove meses

No acumulado do ano, os resultados da Coca-Cola Femsa se mostram mais sustentáveis, com um lucro líquido consolidado de 7,104 bilhões de pesos mexicanos, alta de 19,6% frente aos primeiros nove meses do ano passado.

A receita da empresa no período subiu 2,4%, alcançando 75,097 bilhões de pesos mexicanos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.