Tamanho do texto

IATA reduz previsão de lucro para o setor de US$ 7,9 bi em 2011 para US$ 3 bi em 2012 e alerta para possibilidade de prejuízos

Alta dos preços do petróleo terá impacto no setor aéreo em 2012
Getty Images
Alta dos preços do petróleo terá impacto no setor aéreo em 2012
A International Air Transport Association (IATA), entidade que reúne 240 companhias aéreas de todo mundo, reduziu em US$ 500 milhões suas estimativas para a rentabilidade do setor em 2012 devido à elevação dos preços do petróleo.

A entidade prevê que as empresas aéreas terão um lucro de US$ 3 bilhões (R$ 5,4 bilhões pelo câmbio atual) neste ano e uma margem, considerada “anêmica”, de 0,5%. O lucro das aéreas em 2011 foi de US$ 7,9 bilhões (R$ 14,3 bilhões).

Leia também:

Alta do petróleo pode frear recuperação dos EUA, ampliar crise na Europa e afetar Brasil

Alta dos preços do petróleo pode ameaçar economia global, diz FMI

As crescentes tensões na região do Golfo Pérsico levaram a IATA a rever suas estimativas para o preço médio do barril do petróleo ao longo de 2012, elevando-as de US$ 99 para US$ 115 para o tipo Brent. Mas entidade alerta para a possibilidade de que os preços alcancem US$ 150 por barril em meados do ano, o que poderia elevar o preço médio do petróleo para US$ 135 em 2012, caso a crise com o Irã se agrave.

“Neste cenário, o crescimento do PIB mundial deve desacelerar (dos 2% previstos) para 1,7%, mergulhando o setor aéreo em perdas de mais de US$ 5 bilhões”, informa o relatório da IATA.

O ano de 2011, ao contrário, foi melhor que o previsto anteriormente devido ao bom desempenho das aéreas chinesas. A IATA estima que o lucro das companhias aéreas tenha alcançado US$ 7,9 bilhões no ano passado, superior aos US$ 6,9 bilhões esperados anteriormente.

Apesar da elevação dos preços do petróleo, outros fatores devem ser positivos para o setor e devem evitar um agravamento do cenário para as companhias aéreas, entre eles os esforços para impedir uma piora na crise econômica na zona do Euro, a recuperação da economia americana, a estabilização no mercado de cargas e uma expansão menor que a prevista na ampliação da capacidade das companhias aéreas.

Preços do petróleo

O principal vilão para a redução da rentabilidade do setor aérea será a elevação dos preços do petróleo. Nos últimos doze meses, o preço médio do barril do tipo Brent já se aproxima de US$ 120, levando a IATA a projetar um preço médio de US$ 115 para todo o ano.

“Isso elevará para 34% em média o peso do combustível nos custos operacionais das companhias aéreas e fará com que a conta das empresas com combustíveis aumente para US$ 213 bilhões”, informa a IATA. “As tensões políticas no Golfo Pérsico aumentam os riscos de preços significativamente mais altos para o petróleo, o que levaria a indústria ao prejuízo”, diz a IATA.

América Latina

O lucro das empresas aéreas na América Latina deve ser de US$ 100 milhões em 2012, o mesmo valor previsto para 2011. “As empresas devem ter desempenhos diferentes na região, mas a intensificação da concorrência em alguns grandes mercados e a desaceleração econômica tornam o cenário mais desafiador para que as companhias regionais repassem os aumentos nos preços dos combustíveis que enfrentarão neste ano”, informa a IATA.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.