Tamanho do texto

Colony destaca valor da operação brasileira que tenta ser adquirida pelo grupo Pão de Açúcar

Loja do Carrefour, na França: Interesse do acionista em recuperar operações
GettyImages
Loja do Carrefour, na França: Interesse do acionista em recuperar operações
Embora a principal prioridade do Carrefour seja recuperar operações na França, mercados emergentes, incluindo o Brasil, são também "muito importantes para o Carrefour e a tarefa de sua equipe é acompanhá-los de perto", disse Sebastian Bazin, diretor europeu da Colony Capital, um dos principais acionistas da varejista francesa, segundo o jornal 'Les Echos".

O Carrefour e o rival francês Casino tem estado em atrito por causa do Grupo Pão de Açúcar, cujo presidente do conselho de administração, Abílio Diniz, contatou o Carrefour para discutir uma possível aliança no Brasil. O Casino é um dos principais acionistas da maior varejista brasileira.

Segundo notícia reproduzida pela agência Reuters, o Carrefour deveria considerar relaxar o controle central sobre sua rede de lojas. "Por dez anos o grupo centralizou seus processos", disse Bazin.

"Mas os diretores dos hipermercados que estão em campo sabem o que funciona em suas áreas. Será que não seria o caso de que precisamos dar um pouco de flexibilidade para esta organização por meio da delegação de poderes às lojas individuais?"

Ao mesmo tempo, Bazin insistiu que o Carrefour está no caminho certo e que a Colony Capital deve continuar na empresa por longo prazo.

A Colony, junto com o bilionário do setor de luxo Bernard Arnault , viu o valor de sua participação no Carrefour despencar nos últimos anos em meio a alertas de lucro e reviravoltas de estratégia. "A estratégia do grupo é boa", disse Bazin. "Vai levar algum tempo para que isso se traduza na ação, mas estamos no caminho certo."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.