Tamanho do texto

Vendas caíram 0,5% no Brasil na semana da data comemorativa este ano. Abertura da Copa e crédito caro afetaram lucro

As vendas no comércio brasileiro na semana do Dia dos Namorados caíram 0,5% este ano na comparação com igual período do ano passado, indica levantamento da empresa de consultoria Serasa Experian.

Leia também: Roupas serão os principais presentes de Dia dos Namorados em 2014

Taxa foi inferior apenas em 2009, quando indicador foi de -1,7%
FOTO: MOISES SILVA / OTEMPO
Taxa foi inferior apenas em 2009, quando indicador foi de -1,7%

O resultado é o mais fraco dos últimos cinco anos para essa data comemorativa. A taxa foi inferior à registrada este ano apenas em 2009, quando ficou em -1,7%.

No final de semana que antecedeu a data (6 a 8 de junho), a atividade do comércio cresceu 1% em relação ao mesmo período do ano passado.

Na cidade de São Paulo, o movimento do varejo caiu 0,6% entre os dias 6 e 12 deste mês em comparação com o mesmo período do ano passado. No fim de semana, as vendas tiveram queda de 1,7% na capital paulista em relação ao mesmo período do ano anterior.

Na avaliação dos economistas da Serasa Experian, o fraco desempenho das vendas, além de ter coincidido com o dia de abertura da Copa do Mundo no Brasil, reflete “o encarecimento do crédito, o baixo grau de confiança dos consumidores e a inflação em patamar elevado”.

O Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) também registrou queda nas vendas para o Dia dos Namorados, segundo dados divulgados pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). No entanto, a entidade aponta queda maior, de 8,63%, na comparação entre os dias 5 a 11 de junho deste ano e o mesmo período do ano passado.

Assim como a Serasa, o SPC também atribui a redução nas vendas à abertura da Copa do Mundo e ao “atual cenário de aperto monetário e de inflação elevada”.

O Dia dos Namorados é a terceira data mais lucrativa para o comércio, ficando atrás somente do Natal e do Dia das Mães. Os produtos mais procurados nas lojas durante este período são itens de vestuário, calçados, perfumaria, floricultura, joias e bijuterias.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.