Tamanho do texto

Resultado foi impactado positivamente pelo efeito calendário, com o carnaval deste ano caindo apenas em março

Reuters

O Instituto para Desenvolvimento do Varejo (IDV) divulgou nesta quinta-feira (20) que suas associadas tiveram, em média, um avanço de 7,5% nas vendas de fevereiro ante igual período do ano passado, num resultado impactado positivamente pelo efeito calendário, com o carnaval deste ano caindo apenas em março.

-Leia também: faturamento do comércio varejista cresce 4,2% em 2013, aponta FecomercioSP

O resultado mostrado pelo grupo, do qual fazem parte grandes companhias do setor como Grupo Pão de Açúcar, Lojas Americanas e Lojas Renner, representa uma aceleração ante janeiro, quando o crescimento na comparação anual foi de 6,8%.

No bimestre, o crescimento medido pelo índice IAV-IDV foi de 7,1%, contra 0,5% em 2013
Thinkstock/Getty Images
No bimestre, o crescimento medido pelo índice IAV-IDV foi de 7,1%, contra 0,5% em 2013

Quando considerado o varejo em geral, o avanço nas vendas em janeiro foi de 6,2%, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os dados de fevereiro ainda não foram divulgados pelo instituto.

No bimestre, o crescimento medido pelo índice IAV-IDV foi de 7,1%, contra 0,5% em 2013, o que sugere, na visão do presidente da entidade, perspectivas melhores para o varejo nacional no ano.

"Emprego, renda e crédito, embora com tendência de taxas de crescimento mais baixas, ainda não indicam um obstáculo para um crescimento superior ao de 2013", disse Flavio Rocha, que também comanda a varejista de moda Riachuelo.

Em nota, ele ressalvou que a confiança dos consumidores mostra trajetória de baixa há mais de 12 meses, em um alerta quanto à continuidade do bom desempenho do início de 2014 num contexto de crise no setor elétrico no front doméstico e desafios no cenário macroeconômico internacional.

Para março, a entidade projeta um crescimento de vendas de 4% em função da ocorrência do carnaval no mês. Já para abril e maio, as estimativas são mais otimistas, de um avanço de 10,3% e 10,5%, respectivamente, sempre contra iguais etapas do ano passado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.