Tamanho do texto

Já em relação ao mesmo mês de 2013, o resultado é ainda melhor, com avanço de 6,2%

Reuters

Vendas no comércio brasileiro subiram 0,4% em janeiro
Thinkstock/Getty Images
Vendas no comércio brasileiro subiram 0,4% em janeiro

As vendas no comércio varejista brasileiro avançaram 0,4% em janeiro na comparação com o mês anterior, resultado melhor do que o esperado e suficiente para reverter a contração vista em dezembro e que havia interrompido nove meses seguidos de expansão.

Veja também: Comércio eletrônico cresce a passos largos

Sobre um ano antes, as vendas subiram 6,20% em janeiro, segundo informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira (13). Em dezembro, as vendas haviam recuado 0,2% na comparação mensal.

Ambos os resultados ficaram acima das expectativas em pesquisa da Reuters, cujas medianas indicavam queda de 0,30% na comparação mensal e alta de 4,60% ante janeiro de 2013.

Segundo o IBGE, seis das oito atividades pesquisadas no varejo restrito subiram na comparação mensal, sendo os principais destaques Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (6%) e Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (4,2%).

A receita nominal do varejo, por sua vez, registrou alta de 0,90% em janeiro sobre dezembro e avanço de 12,5% sobre um ano antes.

Já o volume de vendas no varejo ampliado, que inclui veículos e material de construção, apresentou alta de 2,1% na comparação mensal, com destaque para o avanço de 1,9% nas vendas de Veículos e motos, partes e peças.

Apesar da recuperação vista no início do ano, o comércio brasileiro tem convivido com cenário pouco alentador, em meio à inflação e juros elevados, o que tem afetado a confiança dos consumidores. Em janeiro e em fevereiro, segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), a confiança recuou, fechando o mês passado no menor nível desde 2009.

Embora o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) do ano passado tenha ficado melhor do que o esperado, ao expandir 2,3%, agentes econômicos ainda não acreditam que a economia brasileira vai mostrar recuperação melhor em 2014. Pesquisa Focus do Banco Central aponta expectativa de crescimento de 1,68%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.