Tamanho do texto

Em janeiro, vendas reais das 48 empresas que fazem parte do Instituto para Desenvolvimento do Varejo subiram 6,8%

Reuters

Entre as associadas do IDV estão empresas como Grupo Pão de Açúcar, Walmart, Lojas Americanas e Lojas Renner
Thinkstock/Getty Images
Entre as associadas do IDV estão empresas como Grupo Pão de Açúcar, Walmart, Lojas Americanas e Lojas Renner

O Instituto para Desenvolvimento do Varejo (IDV) enxerga um primeiro semestre melhor que o do ano passado, após as vendas de suas associadas em janeiro terem acelerado o crescimento sobre dezembro, com destaque para bens duráveis.

No primeiro mês do ano, as vendas reais das 48 empresas que fazem parte do IDV subiram 6,8% ante igual mês de 2012, contra um avanço de 4,2% visto em dezembro, também na comparação anual.

"O resultado de janeiro ficou muito próximo da média de crescimento das vendas de nossos associados nos dois últimos meses do ano, o que nos induz a crer que o primeiro semestre de 2014 deverá ser melhor do que o do ano passado", afirmou o presidente do IDV, Flávio Rocha, que também comanda as operações da Lojas Riachuelo.

Veja também:  Varejo investe em sistema de dados por satélite

Entre as associadas do IDV estão empresas como Grupo Pão de Açúcar, Walmart, Lojas Americanas e Lojas Renner.

Em janeiro, as vendas de bens duráveis tiveram o melhor desempenho do setor varejista, com alta de 7,4%. O resultado foi atribuído pelo IDV à manutenção das alíquotas reduzidas do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para móveis e linha branca e ao programa do governo Minha Casa Melhor.

As vendas de bens não duráveis subiram 6,3% em janeiro contra um ano atrás, enquanto as de semiduráveis, que contemplam vestuário, calçados e livros, subiram 6,8% no mês.

Para os próximos meses, o IAV-IDV, estudo realizado mensalmente pela entidade com base nos resultados consolidados e previstos, indica alta de 6,5% nas vendas das varejistas em fevereiro, crescimento que deverá ser acelerado para 7,4% em março e a 9,6% em abril, sempre na comparação com os mesmos meses do ano passado.

Leia também:  Receita do setor de serviços cresce 8,5% no País em 2013

Apesar do otimismo com os próximos meses, o presidente do IDV disse que "a confiança dos consumidores anda em baixa" e apontou um "cenário macroeconômico nacional e internacional desafiador, o que nos exige um alerta quanto à otimização do desempenho do setor em 2014".

No ano passado, as vendas do varejo subiram 4,3%, no pior resultado em 10 anos, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em dezembro apenas, as vendas subiram 4% sobre igual mês de 2012, segundo o IBGE, resultado próximo à média apresentada pelas varejistas que fazem parte do IDV.

O IBGE só divulgará as vendas de janeiro no próximo mês.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.