Tamanho do texto

Tendência agora é que comércio desacelere e indústria se recupere, afirma Aloisio Campelo

Agência Estado

Vendas do comércio varejista restrito subiram 0,5% em abril ante março, na série com ajuste sazonal
Dilvulgação (Pão de Açúcar)
Vendas do comércio varejista restrito subiram 0,5% em abril ante março, na série com ajuste sazonal

A desaceleração do crescimento das vendas no varejo e a recuperação da produção industrial podem levar a uma redução do descompasso entre comércio em alta e indústria em baixa ao longo deste ano, na avaliação de Aloisio Campelo, superintendente adjunto de Ciclos Econômicos do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV).

-Veja também: vendas em supermercados caem 0,5% em abril, apura o IBGE

"Olhando a PMC (Pesquisa Mensal de Comércio) contra a PIM (Pesquisa Industrial Mensal), tem uma tendência agora que o comércio desacelere e a indústria se recupere", afirmou.

Nesta quinta-feira (13), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) anunciou, pelos dados da PMC, que as vendas do comércio varejista restrito subiram 0,5% em abril ante março, na série com ajuste sazonal.

"As vendas desaceleraram um pouco, mas não é uma desaceleração assim tão forte. Exceto pela parte de supermercados, onde tem uma questão. Mas a venda de automóveis, por exemplo, voltou a acelerar. Material de construção foi uma surpresa favorável", disse Campelo, para quem as vendas no varejo tendem a acelerar novamente ao longo do ano, tendo em vista que é no comércio de alimentos que a redução no ritmo de crescimento tem sido maior.

Campelo projeta uma alta de 3,0% a 3,5% na produção física em 2013, após queda no ano passado. Até abril, a produção da indústria acumula alta de 1,6% neste ano, de acordo com o IBGE.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.