Tamanho do texto

Empresa informou que deve fechar o ano com investimento de R$ 2,7 bilhões, contra R$ 2,5 bilhões em 2011

A NET anunciou nesta segunda-feira a expansão de seus serviços para 44 novas cidades (atualmente são cerca de 100), distribuídas nos estados de São Paulo (Grande São Paulo, Vale do Paraíba e outras cidades do interior), Rio de Janeiro (Baixada Fluminense, Niterói e São Gonçalo), além de capitais e regiões metropolitanas das regiões Norte e Nordeste.

"Com a nova lei do SEAC (Serviço de Acesso Condicionado), finalmente poderemos expandir a companhia para outras regiões, diz José Félix, presidente da NET Serviços. "Até pouco tempo, a autorização para nossos serviços de TV se davam por município e estávamos autorizados a parar somente em cerca de 100 cidades. Não era uma licença regional e muito menos nacional", completa.

Para tirar "casquinha" dos rivais a NET diz ter adotado critérios como presença em capitais e, em caso de cidades menores, proximidade com outras praças onde já possui base instalada.

MaisAnatel estabelece meta de reclamações para TV paga

Segundo Marcio Carvalho, diretor de serviços e produtos da NET, o plano da empresa é apostar na expansão da rede e neste ano, a empresa anuncia ampliação de 16 mil km de cabos e três milhões de novos assinantes. "Nossa estratégia para a entrada nas novas cidades é oferecer o portfólio 100% HD, com alta velocidade de conexão da internet", explica.

Investimentos

A NET deve fechar o ano com investimento de R$ 2,7 bilhões, contra R$ 2,5 bilhões em 2011. Deste total, R$ 700 milhões serão direcionados para infraestrutura de rede e R$ 500 milhões para a área de atendimento ao consumidor.

"O que vamos propor ao Conselho é seguir crescendo, não tem como uma companhia que tem como pretensão entrar nessas novas cidades, diminuir o investimento, a ideia não é diminuir", acrescentou Félix.

A Net, controlada pela América Móvil, do bilionário Carlos Slim, também busca mais sinergias de produtos com Embratel e Claro, empresa de telefonia fixa e móvel do grupo mexicano, afirmou a jornalistas.

As três companhias já possuem pacotes conjuntos de serviços para o segmento de alta renda, anunciados em outubro de 2011 com preços a partir de 400 reais, e que, segundo Félix, serviram para que as empresas ganhassem conhecimento do mercado e das práticas conjuntas de operação.

Agora, as empresas avaliam a oferta de serviços conjuntos de menor ticket por usuário, de acordo com o executivo.

Ele disse não poder dar informações sobre o interesse do controlador, a Embratel Participações, de realizar uma nova oferta pública de ações para fechar o capital da Net, após ter desistido da anterior em meados do ano.

Concorrência em banda larga

Ao comentar o anúncio da Oi, que nesta segunda anunciou conexões de 200 Mbps, Félix ironizou. "Há muita jogada de marketing. A NET não vai levar conexão rápida só para uma areazinha no Leblon". O executivo disse que as redes atuais da empresa podem levar dados a uma velocidade de 300 Mbps e, dependendo da demanda de um cliente específico, até 1 Gbps.

* Com Reuters

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.