Tamanho do texto

Dados da Secretaria de Aviação Civil apontam que porcentagem das passagens aéreas comercializadas a valores acima de R$ 1.500 em 2011 foi irrisória

Reuters

A porcentagem das passagens aéreas comercializadas a valores acima de R$ 1.500 em 2011 foi irrisória e a tendência de queda dos preços foi mantida no primeiro semestre de 2012, informou nesta quinta-feira a Secretaria de Aviação Civil (SAC), com base nos dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Cerca de 0,1% do total de passagens comercializadas no Brasil em 2011 tiveram preços superiores a R$ 1.500. Segundo o levantamento, 13% do total tinham valores acima de 500 reais no período, enquanto 1% foi negociada acima de R$ 1 mil.

No disputado mercado da aviação, árabes e asiáticas crescem com foco em serviço
Divulgação

O regime de liberdade tarifária no transporte aéreo brasileiro foi implementado em 2002, quando a tarifa média real paga pelo passageiro foi de R$ 498,04. Segundo a Secretaria, em 2011 esta mesma tarifa caiu para R$ 282,67, uma redução de 43% no período.

"No primeiro semestre de 2012 a tarifa média foi de R$ 272,64 mantendo, portanto, sua tendência de queda", disse o documento.

Os valores inferiores a 100 reais responderam por 16% do total no ano passado -- e eram praticamente inexistentes em 2002 --, ao passo que as passagens com preços abaixo de R$ 200 chegaram a 46%, ante 7%, na mesma base de comparação.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.